SMAS Sintra

SMAS – 75 anos a servir Sintra
SMAS – 75 anos a servir Sintra
Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra (SMAS de Sintra) estão a comemorar 75 anos de atividade. Criados em maio de 1946, os SMAS de Sintra são a maior entidade municipal gestora ao nível do abastecimento de água, com mais de 190 mil clientes, servindo uma população de 387 mil habitantes, distribuídos por uma área de 320 km2. São responsáveis ainda pela gestão dos sistemas públicos de drenagem e tratamento de águas residuais e recolha e transporte de resíduos urbanos a destino final adequado. A 9 de maio de 1946, a Câmara de Sintra resgatou a concessão do abastecimento de água. O executivo camarário, presidido pelo engenheiro Carlos Santos, aprovou a “municipalização dos Serviços de Águas e Esgotos do concelho regidos por um conselho de administração”. Um ano antes, a 5 de agosto de 1945, tinha ocorrido a rescisão de contrato com a Companhia das Águas de Sintra, celebrado em 1922, já com a intenção de passar o abastecimento de água para a esfera do município. A 22 de Maio de 1946, foi publicado em Diário de Governo o Decreto-Lei n.º 35.653, onde se determinava que a Câmara Municipal de Sintra promovesse “o resgate da atual concessão do abastecimento de água daquela vila e o melhoramento e ampliação do respetivo sistema (…) enquanto o abastecimento do concelho de Sintra será explorado pela respetiva câmara municipal, sob o regime de serviço municipalizado”. Volvidos 75 anos, os SMAS de Sintra pretendem afirmar-se, cada vez mais, como uma marca de referência no desenvolvimento sustentável do Município de Sintra, assente em elevados padrões de proteção e valorização dos sistemas ambientais e humanos, consolidando uma imagem de confiança, transparência e competência. O sistema de abastecimento de água em exploração é constituído por 5 captações próprias, 53 reservatórios, 34 estações de bombagem, 1 estação de tratamento de água e 1.820 km de condutas de distribuição. Ao nível das águas residuais, o sistema é constituído por 1.020 km de redes de coletores e emissários, assente em 17 estações de tratamento de águas residuais domésticas e 26 estações elevatórias. A rede de saneamento a sul do concelho drena para o Sistema das Águas do Tejo Atlântico. No domínio dos resíduos urbanos, os SMAS de Sintra recolhem uma média mensal de 14.200 toneladas de indiferenciados e seletivos, disponibilizando, para o efeito, cerca de 12.650 contentores, divididos por 5.320 pontos de deposição. Estes serviços municipalizados estão a investir, entre 2021 e 2025, mais de 80 milhões de euros na gestão e inovação dos sistemas de água e resíduos.
Sintra avança com a 2.ª fase da recolha seletiva de Biorresíduos
Sintra avança com a 2.ª fase da recolha seletiva de Biorresíduos
Operação “Sintra e os Biorresíduos” arranca em Colares e União de Freguesias de Sintra

Sintra avança, esta segunda-feira, com a 2.ª fase da recolha seletiva de biorresíduos (resíduos alimentares), com o alargamento a localidades da Freguesia de Colares e da União de Freguesias de Sintra. Seis meses após o arranque do projeto piloto em Rio de Mouro, com o lema “Bio-Recursos: demasiado bons para desperdiçar!”, os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra (SMAS de Sintra) arrancam com a Operação “Sintra e os Biorresíduos” que, em 2021, vai abranger 75 mil pessoas, num universo de 25 mil fogos habitacionais.

A Operação “Sintra e os Biorresíduos” representa um investimento de cerca de 670 mil euros e viu aprovada uma candidatura ao POSEUR (Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos), no montante de 292.721,55 euros, num eixo de investimento que visa o aumento da recolha seletiva e a valorização de biorresíduos.

Decorrente da obrigatoriedade da recolha seletiva de biorresíduos até ao final de 2023, a operação vai ser implementada, já este ano, na Freguesia de Colares, União de Freguesias de Sintra e algumas localidades de Rio de Mouro, Algueirão-Mem Martins e da União de Freguesias de Queluz e Belas.

A partir desta 2.ª feira, a recolha seletiva de biorresíduos vai ser expandida a localidades como Almoçageme, Azenhas do Mar, Banzão, Casas Novas, Colares, Fontanelas, Galamares, Janas, Mucifal, Pinhal da Nazaré, Praia das Maçãs e Rodízio. Para aderir, os munícipes destas localidades devem preencher formulário disponível em www.smas-sintra.pt ou ligar para 910 443 505. Em breve, serão anunciadas novas áreas abrangidas na Operação “Sintra e os Biorresíduos”.

Os SMAS de Sintra vão promover ainda a recolha seletiva junto de agentes económicos, nomeadamente do setor da restauração, e em estabelecimentos de ensino, com circuito dedicado e recolha porta-a-porta, por se tratarem de produtores de grandes quantidades de biorresíduos.

Em 2022, o novo sistema de recolha vai abranger mais 70 mil famílias, envolvendo a totalidade da área urbana do concelho, cumprindo em 2023 a obrigatoriedade da recolha seletiva de biorresíduos, englobando as uniões de freguesia de São João das Lampas e Terrugem e de Almargem do Bispo, Pêro Pinheiro e Montelavar.

O projeto desafia os munícipes a efetuarem a triagem dos resíduos alimentares (restos de preparação e confeção de refeições, guardanapos de papel, saquetas de chá, restos de produtos frescos não embalados, como legumes, frutas, carnes, peixe, e pão e bolos). As famílias aderentes efetuam a deposição dos restos de alimentos em sacos verdes produzidos com 100% de plástico reciclado, que serão acondicionados num pequeno contentor castanho (de 7 litros), também distribuídos pelos SMAS de Sintra. O saco deve ser bem fechado e colocado diretamente nos contentores de indiferenciados existentes na via pública.

Os SMAS de Sintra procedem à recolha dos resíduos e à sua entrega na Tratolixo (empresa intermunicipal de Sintra, Cascais, Oeiras e Mafra). Os sacos são depois triados em unidade de tratamento mecânico que, através de sistemas óticos, efetua a separação, permitindo o seu tratamento de forma diferenciada.

Os biorresíduos recolhidos serão transformados em composto orgânico ou energia, alavancando-se desta forma poupanças públicas e privadas na gestão dos resíduos urbanos, tendo igualmente em vista as metas preconizadas para o país no PERSU 2020+.

 

Dados essenciais da Operação “Sintra e os Biorresíduos”:

  • Investimento total: 670.000 euros
  • Financiamento do POSEUR: 292.721,55 euros
  • População envolvida em 2021: 75 mil pessoas
  • Primeiras localidades abrangidas: Almoçageme, Azenhas do Mar, Banzão, Casas Novas, Colares, Fontanelas, Galamares, Janas, Mucifal, Pinhal da Nazaré, Praia das Maçãs e Rodízio
  • Projeto piloto arrancou a 19 de outubro de 2020 e envolveu 15 mil pessoas na freguesia de Rio de Mouro
Praia das Maçãs – Novos contentores já estão operacionais
Praia das Maçãs – Novos contentores já estão operacionais
Investimento de 500 mil euros na renovação de contentorização nas zonas balneares
Já estão operacionais os primeiros contentores instalados no âmbito da renovação da contentorização nas zonas balneares e localidades adjacentes da área litoral do concelho de Sintra, que representa um investimento global no montante de 500 mil euros. Os novos equipamentos foram instalados na Praia das Maçãs, na Avenida Eugénio Levy, seguindo-se, durante esta semana, a Praia do Magoito. Esta intervenção dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra (SMAS de Sintra) compreende a instalação de 174 contentores enterrados, em substituição de equipamentos de superfície, englobando 50 pontos de deposição e insere-se na estratégia de renovação de equipamentos em áreas emblemáticas do concelho de Sintra ou que registem uma elevada produção de resíduos, ainda que sazonal, com o objetivo de aumentar a capacidade instalada de deposição, reduzir o impacto visual no espaço público e uma otimização dos meios operacionais de recolha. A renovação da contentorização, que aumenta a capacidade de deposição, melhora a acessibilidade e higiene e valoriza o ambiente, vai decorrer ainda em localidades como Almoçageme, Alto do Rodízio, Azenhas do Mar, Azóia, Mucifal, Ulgueira e Várzea de Colares (Freguesia de Colares); Arneiro dos Marinheiros, Assafora, Gouveia e Fontanelas (União de Freguesias de São João das Lampas e Terrugem); e Janas e Nafarros (União de Freguesias de Sintra). A área de intervenção é caracterizada por contentorização de superfície, com capacidade média de 1.000 litros para os resíduos indiferenciados e até aos 3.200 litros ao nível da recolha seletiva. Os novos equipamentos têm uma capacidade que varia entre os 3 m³ (vidro) e os 5 m³ (indiferenciados, plástico/metal e papel/cartão). À semelhança do que sucedeu na Praia Grande, cuja renovação ocorreu em 2020, os contentores situados na frente marítima vão integrar materiais mais duradouros, no sentido de melhor responder às condições atmosféricas da orla costeira. Na Praia Grande, foram instalados 25 contentores, que incluem uma mensagem que apela à adoção de boas práticas ambientais por parte dos cidadãos, assente na mensagem de que “O que não acaba aqui, acaba no Mar”. Recorde-se que os SMAS de Sintra estão a investir quatro milhões de euros na renovação de contentorização em todo o concelho, com destaque para as intervenções em curso em Mem Martins, com instalação de 234 equipamentos, e na Serra das Minas, com substituição de 195 contentores.
SMAS de Sintra promovem projeto de compostagem
SMAS de Sintra promovem projeto de compostagem
“Compostagem é Reciclar e Reutilizar-Ser Melhor pelo Ambiente!”
Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra (SMAS de Sintra) estão a promover o projeto “Compostagem é Reciclar e Reutilizar - Ser Melhor pelo Ambiente!”, que contempla a disponibilização gratuita de 600 compostores domésticos. O projeto representa um investimento inicial dos SMAS de Sintra de cerca de 50 mil euros. Os compostores serão disponibilizados a munícipes de Sintra que submetam a sua candidatura em formulário online disponível em Compostagem é Reciclar e Reutilizar (clique para aceder) e disponham de espaço (quinta, horta, jardim ou terraço com local em terra) para colocar o equipamento com capacidade de 330 litros. As inscrições serão analisadas por ordem cronológica de submissão até ao limite de 600 compostores. A entrega dos equipamentos será efetuada nas instalações dos SMAS, em data e hora a designar. Mediante a assinatura de Declaração de Aceitação das normas de participação, os munícipes assumem o compromisso de utilizar o equipamento exclusivamente para o fim previsto, ou seja, a valorização de matéria orgânica, como restos de alimentos não cozinhados (vegetais, frutas e outros alimentos crus), e resíduos de jardins e hortas, para produção de fertilizante. Os SMAS de Sintra efetuarão, ainda, o acompanhamento e monitorização do projeto, através de visitas periódicas ou aleatórias aos participantes, a quem serão disponibilizados ainda um Guião de Compostagem e o apoio técnico necessário para o bom desenvolvimento do projeto, incluindo a realização de ações de formação. O novo projeto de compostagem dos SMAS de Sintra tem por objetivo sensibilizar para o aproveitamento dos restos de alimentos não cozinhados e da manutenção dos jardins e hortas, para a produção de um fertilizante rico em nutrientes (composto orgânico). Ao potenciar a valorização dos resíduos orgânicos, o projeto visa a redução do seu encaminhamento para incineração ou aterro, mas também sensibilizar a população para a necessidade de diminuir a deposição de resíduos indiferenciados Para concretizar este objetivo, além dos 600 equipamentos domésticos, os SMAS de Sintra vão disponibilizar 100 compostores comunitários, com capacidade de 1.000 litros, para condomínios e entidades privadas (empresas), escolares e sociais (instituições de infância ou 3.ª Idade). Os SMAS de Sintra entregaram os primeiros compostores comunitários em meados do último mês, nas hortas solidárias da Câmara Municipal de Sintra, situadas em Rio de Mouro, Cacém, Monte Abraão e Pego Longo (Belas). No início de 2020, os SMAS de Sintra já tinham promovido, em conjunto com a Tratolixo (empresa intermunicipal de Sintra, Cascais, Oeiras e Mafra), o projeto de compostagem “Faça mais, para fazermos melhor”, que consistiu na atribuição gratuita de 300 compostores domésticos.
Obras em Areias e Alvarinhos avançam no terreno
Obras em Areias e Alvarinhos avançam no terreno
Investimento de 2 milhões de euros dos SMAS de Sintra
As obras do subsistema de saneamento de Areias e Alvarinhos, em São João das Lampas, já se iniciaram, com os trabalhos a decorrerem na Rua do Campo da Bola, em Alvarinhos. Um investimento dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra (SMAS de Sintra) no montante de 2 milhões de euros. Com um prazo de execução de 900 dias, a empreitada em Areias, Alvarinhos e A-do-Longo vai beneficiar cerca de 600 pessoas e compreende a construção da rede de drenagem de águas residuais domésticas, as quais serão encaminhadas para a futura ETAR (Estação de Tratamento de Águas Residuais) de Alvarinhos, para além da execução da rede de drenagem de águas pluviais. A intervenção contempla, ainda, a remodelação da rede de abastecimento de água, com substituição de condutas em fibrocimento. Dada a sensibilidade arqueológica da zona, o arranque dos trabalhos esteve dependente de autorização da Direção Geral do Património Cultural (DGPC). O estrito cumprimento das orientações da DGPC em relação ao acompanhamento arqueológico, numa zona sensível a este nível, já esteve presente na empreitada relativa ao subsistema de Barreira, São Miguel e Funchal. Neste caso, os trabalhos encontram-se em fase de conclusão, representando um investimento de 1 milhão e 100 mil euros. [gallery size="medium" ids="33769,33774,33771"] Esta empreitada compreendeu a remodelação de toda a rede de abastecimento de água, que se encontra garantido a partir do Reservatório da Amoreira, substituindo as condutas em fibrocimento que eram palco de frequentes roturas. Foram substituídos ainda os ramais domiciliários. Face à cota do lugar de Funchal, em relação ao reservatório, a intervenção compreendeu, ainda, a construção de uma estação hidropressora em Barreira, para elevação da pressão na rede de abastecimento. As obras permitiram dotar as localidades de Barreira, São Miguel e Funchal de rede de drenagem de águas residuais, em substituição das fossas sépticas que, devido à natureza rochosa do solo, podiam originar escorrências de efluentes. O subsistema de drenagem, que beneficia cerca de 250 habitantes, é encaminhado para as estações elevatórias de Barreira e Funchal e posterior ligação à rede existente e tratamento na ETAR de São João das Lampas. Os SMAS de Sintra são a maior entidade gestora dos sistemas públicos municipais de distribuição de água em Portugal, contando com mais de 190 mil clientes. Estes serviços municipalizados estão a investir, entre 2021 e 2025, mais de 80 milhões de euros na gestão e inovação dos sistemas de água e resíduos.
SMAS de Sintra reforçam sistema de abastecimento de água em Morelena
SMAS de Sintra reforçam sistema de abastecimento de água em Morelena
Investimento de 450 mil euros em Almargem do Bispo, Pêro Pinheiro e Montelavar
Encontram-se em fase de conclusão as obras de instalação de condutas e válvula redutora de pressão em Morelena (Pêro Pinheiro), uma empreitada dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra (SMAS de Sintra) no montante de 450 mil euros e que vai beneficiar cerca de 7.500 pessoas. A empreitada abrangeu a instalação de conduta distribuidora, desde a Rua David Carrasqueira (Morelena) até à Avenida dos Lapiás (Pêro Pinheiro), para abastecimento à Estação Elevatória da Pedra Furada, de forma a assegurar os caudais de elevação para Anços e Negrais. As obras compreenderam ainda a execução de troço de conduta na Rua da Fonte, com início na Estrada do Urmal e final na Avenida Marquês de Pombal (Morelena), para assegurar a ligação da conduta distribuidora do futuro reservatório de Morelena à atual conduta adutora ao Reservatório de Montelavar. Os trabalhos contemplaram, também, a execução de uma caixa com válvula redutora de pressão em local próximo ao futuro reservatório, simulando o seu funcionamento, que irá servir as localidades de Rebanque, Outeiro, Cruz da Moça, Murganhal, Morelena, Pêro Pinheiro, Montelavar, Maceira, Pedra Furada e, indiretamente, Anços, Negrais e Alfouvar, passando todo o sistema a ter uma única origem. Foi instalada ainda uma nova conduta em FFD (Ferro Fundido Dúctil), de diâmetro 300 mm, na Rua da Fonte, no sentido de que todas as redes de distribuição fiquem integradas na área de influência do futuro Reservatório de Morelena. Iniciados no primeiro trimestre de 2020, com um prazo de execução de 360 dias, os trabalhos incluíram, ainda, a instalação de uma conduta em PEAD (Polietileno de Alta Densidade) DN200 mm, que permitirá o abastecimento a Pedra Furada, Anços, Negrais e Alfouvar e o reforço do fornecimento de água a Maceira. Os SMAS de Sintra são a maior entidade gestora dos sistemas públicos municipais de distribuição de água em Portugal, contando com mais de 190 mil clientes. Estes serviços municipalizados estão a investir, entre 2021 e 2025, mais de 80 milhões de euros na gestão e inovação dos sistemas de água e resíduos.
Renovação de contentorização na Serra das Minas
Renovação de contentorização na Serra das Minas
Investimento ascende a 450 mil euros

A renovação de contentorização na Serra das Minas (Rio de Mouro) está a avançar no terreno, com a instalação de um total de 195 equipamentos enterrados, em substituição de contentores de superfície. A intervenção dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra (SMAS de Sintra) vai ascender a 450 mil euros, contemplando 44 pontos de deposição, com as valências de recolha de resíduos indiferenciados, plásticos/metal, papel/cartão e vidro.

Os trabalhos estão a decorrer, com recurso a meios internos dos SMAS de Sintra, na Rua Américo Farinha, seguindo-se a Avenida João de Deus, após as intervenções já realizadas na Avenida Irene Lisboa e Rua Vitorino Nemésio. A empreitada de renovação de contentorização já avançou, ainda, na Avenida Maria Lamas e na Rua Planeta Mercúrio.

[gallery columns="2" link="none" size="large" ids="33169,33167"]

A instalação de nova contentorização na Serra das Minas vai traduzir-se num aumento de 187 mil litros na capacidade de deposição indiferenciada e de 227.200 litros ao nível da recolha seletiva, por se tratarem de equipamentos que variam entre os cinco e os três metros cúbicos, além de um acréscimo de 21 equipamentos.

Além do aumento da capacidade de deposição, os novos contentores vão contribuir para um melhor ambiente urbano, com benefícios em termos ambientais, incluindo a diminuição de odores, e de redução da ocupação do espaço público.

A instalação dos novos contentores está a decorrer na sequência da empreitada de remodelação da rede de abastecimento da Serra das Minas, que se encontra em fase de conclusão e representou um investimento de 1 milhão e 900 mil euros.

Prolongamento de rede de abastecimento de água na Terrugem (EN 247)
Prolongamento de rede de abastecimento de água na Terrugem (EN 247)
Investimento de 200 mil euros
Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra (SMAS de Sintra) estão a executar o prolongamento da rede de abastecimento de água na Terrugem, num troço da Estrada Nacional 247, no âmbito de uma empreitada, no montante de 200 mil euros, que decorre em quatro pontos do concelho. Os trabalhos na Terrugem obrigam ao condicionamento de trânsito na EN 247 até meados de maio e compreendem o prolongamento da rede de abastecimento de água no lado poente (sentido Ericeira-Sintra) e a remodelação da rede existente do lado nascente (sentido Sintra-Ericeira), com a união das condutas pelo sistema de perfuração mecânica, numa intervenção a decorrer nas imediações do cruzamento de acesso à povoação de Concelho. A empreitada de prolongamento de redes, que representa um investimento global de 200 mil euros, já compreendeu a construção do coletor e ramais de esgotos na Estrada do Telhal, entre a Estrada Nacional 250-1 e a rotunda de acesso à A16, com ligação ao sistema da Águas do Tejo Atlântico, além da execução do ramal de águas residuais domésticas no Recoveiro. Esta intervenção contempla igualmente a substituição de um coletor de águas residuais pluviais em Lourel, na Estrada da Ericeira, de forma a melhorar o escoamento naquela via rodoviária que integra a Estrada Nacional 247. Além do aumento do diâmetro da tubagem, para fazer face ao aumento do caudal ao longo do arruamento, está prevista a execução de duas novas câmaras de visita.
Remodelação de redes em Pêro Pinheiro
Remodelação de redes em Pêro Pinheiro
Já estão a decorrer as obras num troço da Avenida da Liberdade, em Pêro Pinheiro, no âmbito da empreitada de remodelação de redes de drenagem de águas residuais (domésticas e pluviais) e de abastecimento de água. A intervenção vai ter lugar neste troço da Estrada Nacional 9 até ao final de maio e complementa os trabalhos já realizados na Avenida 25 de abril, que obrigaram ao corte de trânsito neste arruamento de acesso a Montelavar no início do corrente ano. Representando um investimento de 320 mil euros e um prazo de execução de 180 dias (seis meses), a empreitada dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra (SMAS de Sintra) visa resolver o problema da acumulação de águas pluviais que se verifica na Avenida da Liberdade, aquando de períodos de precipitação mais intensa, pelo que implica a remodelação da rede de drenagem até à zona de descarga na linha de água na Avenida 25 de abril. Em simultâneo, estão a ser renovadas as redes de abastecimento de água, incluindo ainda os ramais domiciliários, e de drenagem de águas residuais domésticas. Os SMAS de Sintra são a maior entidade gestora dos sistemas públicos municipais de distribuição de água em Portugal, contando com mais de 190 mil clientes. Estes serviços municipalizados estão a investir, entre 2021 e 2025, mais de 80 milhões de euros na gestão e inovação dos sistemas de água e resíduos.
Novos contentores em Massamá
Novos contentores em Massamá
Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra (SMAS de Sintra) estão a renovar a contentorização em diversos pontos de Massamá, com a substituição de equipamentos de superfície por enterrados, o que se traduz num aumento da capacidade de deposição, melhoria da acessibilidade e higiene e valorização do ambiente. Os novos contentores estão a ser instalados na Avenida 25 de Abril (junto ao Shopping Center Massamá), na Avenida Américo Ferrer Lopes e na Praceta Afonso Lopes Vieira, complementando a renovação já efetuada, em meados de 2020, na Avenida Azedo Gneco. Para este ano, está prevista ainda a instalação de novos contentores em três locais de deposição na Rua Direita de Massamá. [gallery size="medium" ids="30945,30942,30944"] Os novos equipamentos vão aumentar a capacidade de deposição, por se tratarem de equipamentos que variam entre 5 m³ (indiferenciados, plástico/metal e papel/cartão) e 3 m³ (vidro), com benefícios em termos ambientais, incluindo a diminuição de odores, e a redução do impacto urbanístico e de ocupação do espaço público. Estes equipamentos apresentam ainda uma maior durabilidade e menor investimento de manutenção. A renovação da contentorização, que representa um investimento global de quatro milhões de euros, será gradual em diversas localidades do concelho e, nos próximos meses, vai avançar em várias artérias de Agualva, Belas, Cacém, Fitares (Rinchoa), Monte Abraão, Queluz e Rio de Mouro. Em curso está, ainda, a renovação de contentorização na Serra das Minas (Rio de Mouro), com instalação de 195 equipamentos, e em Mem Martins, com instalação de 234 contentores, em ambos os casos no âmbito das empreitadas de remodelação das redes de abastecimento de água.
Requalificação de infraestruturas junto à Quinta da Regaleira
Requalificação de infraestruturas junto à Quinta da Regaleira
Investimento de 340 mil euros no abastecimento de água e drenagem de águas residuais
Estão a decorrer a bom ritmo as obras de remodelação das redes de abastecimento de água e de drenagem de águas residuais junto à Quinta da Regaleira, na Vila de Sintra, num investimento de 340 mil euros. A empreitada tem um prazo de execução de 300 dias. A intervenção dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra (SMAS de Sintra) decorre na Rua Barbosa du Bocage, prevendo-se a duração desta fase em cerca de três meses, até ao final de abril. A segunda fase, que só decorrerá após a conclusão da primeira, terá lugar na Rua Trindade Coelho, entre maio e julho.   Esta obra tem lugar numa área sensível do centro histórico, visitado por milhares de turistas ao longo do ano, mas com particular incidência no Verão, e onde se localizam diversos alojamentos turísticos. No domínio do saneamento, a zona não dispõe de rede pública de drenagem de águas residuais, com a drenagem a ser assegurada através de fossas sépticas. A área é abastecida de água por uma conduta em ferro galvanizado de diâmetro 200 mm que se encontra sujeita a diversas roturas. A empreitada consiste na instalação de coletores gravíticos na Estrada Nacional 375, na lateral da Quinta da Regaleira e na Rua Trindade Coelho, de forma a canalizar os esgotos domésticos provenientes da Quinta da Regaleira e das construções contíguas até uma infraestrutura (caixa de visita) já existente na Rua Trindade Coelho, permitindo, assim, desativar as fossas sépticas. Ao nível da remodelação da conduta de abastecimento de água, os trabalhos compreendem a utilização de tubagem em ferro fundido dúctil (material com maior vida útil e com maior resistência a ruturas, impactos e à pressão), numa extensão de 240 metros. Durante os trabalhos de instalação da nova conduta, o abastecimento será assegurado através de um by-pass. Por se tratar de uma zona tradicionalmente de grande afluência turística, os SMAS de Sintra vão procurar causar o menor impacto possível durante a realização das obras, embora a abertura de valas obrigue a condicionamentos e cortes de trânsito temporários, estando os desvios devidamente assinalados. Os SMAS de Sintra são a maior entidade gestora dos sistemas públicos municipais de distribuição de água em Portugal, contando com mais de 190 mil clientes. Estes serviços municipalizados vão investir, entre 2021 e 2025, mais de 80 milhões de euros na gestão e inovação dos sistemas de água e resíduos.
SMAS de Sintra investem em São João das Lampas e Terrugem
SMAS de Sintra investem em São João das Lampas e Terrugem
Sistema de Saneamento de Alvarinhos, Areias, Barreira, São Miguel e Funchal
Encontram-se em fase de conclusão as obras do subsistema de saneamento de Barreira, São Miguel e Funchal, num investimento de 1 milhão e 100 mil euros, uma intervenção iniciada em meados de 2018. A empreitada compreendeu a remodelação de toda a rede de abastecimento de água, que se encontra garantido a partir do Reservatório da Amoreira, substituindo as condutas em fibrocimento que eram palco de frequentes roturas. Foram substituídos ainda os ramais domiciliários. Face à cota do lugar de Funchal, em relação ao reservatório, a intervenção compreende, ainda, a construção de uma estação hidropressora em Barreira, para elevação da pressão na rede de abastecimento. As obras permitiram dotar as localidades de Barreira, São Miguel e Funchal de rede de drenagem de águas residuais, em substituição das fossas sépticas que, devido à natureza rochosa do solo, podiam originar escorrências de efluentes. O subsistema de drenagem, que beneficia cerca de 250 habitantes, é encaminhado para as estações elevatórias de Barreira e Funchal e posterior ligação à rede existente e tratamento na ETAR de São João das Lampas. Para o presidente da Câmara Municipal e do Conselho de Administração dos SMAS de Sintra, Basílio Horta, “o investimento realizado é uma prioridade. Não podemos admitir que continuem a existir zonas sem acesso digno a este bem, tão essencial e importante, como é o saneamento”. O investimento dos SMAS de Sintra no território da União de Freguesias de São João das Lampas e Terrugem, que totaliza os 22 milhões de euros, vai prosseguir com as obras do subsistema de Alvarinhos e Areias, um investimento de dois milhões de euros, que arrancarão no primeiro trimestre deste ano. Com um prazo de execução de 900 dias, a empreitada em Alvarinhos e Areias vai beneficiar cerca de 600 pessoas e compreende a remodelação da rede de abastecimento de água, com substituição das condutas em fibrocimento, e construção da rede de drenagem de águas residuais, as quais serão encaminhadas para a futura ETAR de Alvarinhos. Dada a sensibilidade arqueológica da zona, o arranque das obras aguarda as devidas autorizações por parte da Direção Geral do Património Cultural.  Os SMAS de Sintra são a maior entidade gestora dos sistemas públicos municipais de distribuição de água em Portugal, contando com mais de 190 mil clientes. Estes serviços municipalizados estão a investir, durante o triénio 2019/2021, mais de 50 milhões de euros na gestão e inovação dos sistemas de água e resíduos.
Remodelação das redes de abastecimento de água e drenagem pluvial na Portela de Sintra
Remodelação das redes de abastecimento de água e drenagem pluvial na Portela de Sintra
Investimento de dois milhões de euros inclui nova ciclovia
O Município de Sintra está a investir dois milhões de euros na remodelação das redes de abastecimento de água e de drenagem pluvial na Portela de Sintra, numa empreitada que inclui a execução de nova ciclovia. Com um prazo de execução de 34 meses (1020 dias), a intervenção constitui uma empreitada conjunta da Câmara e dos Serviços Municipalizados de Água de Sintra (SMAS de Sintra), inserindo-se na estratégia municipal de melhoria da qualidade de vida da população. “A Câmara de Sintra tem desenvolvido um plano de investimento abrangente e que tem melhorado a qualidade de vida das pessoas. As ciclovias, o investimento na rede de distribuição de água e a capacidade das pessoas se deslocarem em segurança, têm sido prioridades na atuação do município”, salienta o presidente da Câmara Municipal e do Conselho de Administração dos SMAS de Sintra, Basílio Horta. A intervenção ao nível da rede de abastecimento de água, que vai beneficiar cerca de cinco mil habitantes, terá lugar numa extensão de mais de 7 km, com a instalação de condutas de PEAD (Polietileno de Alta Densidade) de diâmetros 90,110, 160 e 200 mm, em substituição das atuais em fibrocimento. As obras contemplam ainda a remodelação de 336 ramais de abastecimento de água. Os trabalhos na rede de drenagem pluvial vão ser concretizados no Largo Vasco da Gama, na zona contígua ao acesso à estação da Portela de Sintra. A empreitada compreende, ainda, o desvio de um coletor pluvial de diâmetro 600 mm que se encontra por debaixo das bancadas do campo de futebol do Sport União Sintrense. A ciclovia da Portela de Sintra terá uma extensão aproximada de 800 metros, permitindo incrementar a mobilidade suave e a segurança rodoviária, ordenar/requalificar espaços públicos e ligar equipamentos estruturantes, como a interface da Portela de Sintra, a Escola Secundária de Santa Maria e zonas de comércio e serviços.      Os SMAS de Sintra são a maior entidade gestora dos sistemas públicos municipais de distribuição de água em Portugal, contando com mais de 190 mil clientes. Estes serviços municipalizados estão a investir, durante o triénio 2019/2021, mais de 50 milhões de euros na gestão e inovação dos sistemas de água e resíduos.
SMAS de Sintra investem um milhão e meio de euros em Mem Martins
SMAS de Sintra investem um milhão e meio de euros em Mem Martins
Renovação da rede de abastecimento de água com origem no Reservatório de Ouressa
Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS) de Sintra estão a investir um milhão e 500 mil euros na remodelação da rede de abastecimento de água de Mem Martins, com origem no reservatório de Ouressa. A empreitada tem um prazo de execução de 30 meses e insere-se na estratégia do município de renovação das infraestruturas da rede de abastecimento, com o objetivo de melhorar o desempenho e eficiência do sistema, assim como reduzir a ocorrência de ruturas, beneficiando uma população estimada em 13.360 habitantes. “A necessidade de intervenção na rede de distribuição de Mem Martins fundamenta-se na inadequação das redes existentes às solicitações atuais, pelo elevado número de ruturas e pelos incómodos e prejuízos causados à população”, acentua Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra e do conselho de administração dos SMAS. A obra abrange a remodelação de todas as condutas em fibrocimento, numa área de intervenção de 5,5 quilómetros, que inclui, ainda, a substituição dos ramais domiciliários e implementação de uma Zona de Medição e Controlo (ZMC). À semelhança da empreitada em curso na Serra das Minas (Rio de Mouro), a obra vai contemplar a substituição dos equipamentos de deposição de resíduos urbanos, com a instalação de 234 contentores enterrados (75 para resíduos indiferenciados, 53 de plástico/embalagens, 53 de papel/cartão e 53 de vidro), implementados em 53 pontos de deposição.         Os SMAS de Sintra são a maior entidade gestora dos sistemas públicos municipais de distribuição de água em Portugal, contando com mais de 190 mil clientes. Estes serviços municipalizados estão a investir, entre 2021 e 2025, mais de 80 milhões de euros na gestão e inovação dos sistemas de águas e resíduos.
Sintra renova rede de abastecimento de água na Serra das Minas
Sintra renova rede de abastecimento de água na Serra das Minas
Investimento de um milhão e 844 mil euros
Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS) de Sintra têm em curso um investimento de um milhão e 844 mil euros na remodelação da rede de abastecimento de água na Serra das Minas, freguesia de Rio de Mouro.  A empreitada consiste na remodelação das infraestruturas de abastecimento de água em fibrocimento, redes antigas que apresentam perdas significativas de água, decorrente de roturas frequentes de difícil deteção, por se tratar de uma zona muito rochosa. “A necessidade de substituição de condutas deve-se à existência de roturas e fugas de água, motivadas pelo desgaste das tubagens em fim de vida útil, e à inadequação dos diâmetros das condutas”, frisa Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra e do conselho de administração dos SMAS, que realça que “a concretização destas obras vai possibilitar melhorar o desempenho da rede, a fiabilidade e conforto para os consumidores”.  A intervenção vai beneficiar uma população estimada em 12 mil habitantes, sendo substituídos todos os ramais domiciliários existentes, bem como a execução de ramais onde não existia abastecimento, o qual mantém como origem o Reservatório da Rinchoa. Para avaliar o desempenho da rede, está prevista a definição de Zonas de Medição e Controlo (ZMC). A obra contempla a execução de 11,3 km de novas condutas. Após a concretização da remodelação da rede, com a instalação de condutas em PVC (Policloreto de Vinilo), os SMAS de Sintra procedem à pavimentação das vias rodoviárias, assim como à execução dos pavimentos em calçada, no sentido de repor as condições de circulação rodoviária e pedonal na zona. A empreitada inclui, ainda, a substituição de contentores de superfície por equipamentos enterrados de deposição de resíduos urbanos, correspondendo a 195 equipamentos, cuja aquisição motivou a abertura de um concurso específico por parte dos SMAS de Sintra, no valor global de cerca de 500 mil euros. Os SMAS de Sintra são a maior entidade gestora dos sistemas públicos municipais de distribuição de água em Portugal, contando com mais de 190 mil clientes. Estes serviços municipalizados estão a investir, entre 2021 e 2025, mais de 80 milhões de euros na gestão e inovação dos sistemas de água e resíduos.
SMAS de Sintra investem um milhão e 600 mil euros na Terrugem
SMAS de Sintra investem um milhão e 600 mil euros na Terrugem
Intervenção nas localidades de Silva, Faião, Cabrela e Casais de Cabrela
Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS) de Sintra estão a investir um milhão e 600 mil euros na remodelação das redes de abastecimento de água e construção das redes de drenagem de águas residuais domésticas em Silva, Faião, Cabrela e Casais de Cabrela, na União de Freguesias de São João das Lampas e Terrugem. A intervenção, com a duração de 900 dias, vai beneficiar cerca de 610 habitantes. A intervenção em Silva, Faião, Cabrela e Casais de Cabrela insere-se num plano de investimentos dos SMAS de Sintra, que ascende a 22 milhões e 246 mil euros no território da União de Freguesias de São João das Lampas e Terrugem. “O maior investimento dos SMAS é nesta freguesia, porque é aqui que é mais necessário, sendo um território muito vasto (87 km²). Esta intervenção insere-se na continuidade da estratégia da autarquia de investimento na melhoria dos sistemas de abastecimento de água e drenagem de águas residuais no concelho”, realça Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra e do conselho de administração dos SMAS de Sintra. A empreitada visa solucionar os atuais problemas da rede de abastecimento de água e assegurar as necessidades futuras. A rede de distribuição de água, numa extensão aproximada de cerca de 4 km, será construída em Polietileno de Alta Densidade (PEAD), assegurando, além do abastecimento de água às populações, o serviço de combate a incêndios, através da instalação de marcos de incêndio nos principais cruzamentos e bifurcações, com uma distância máxima de 200 metros. Com uma rede de coletores com cerca de 4,5 quilómetros, as águas residuais terão como destino final a futura ETAR de Cabrela. Os trabalhos contemplam a reposição dos pavimentos em todos os arruamentos abrangidos pela empreitada. O início das obras esteve previsto para o final de 2019, mas a empreitada foi suspensa por se desenvolver numa área de elevada sensibilidade arqueológica, o que obriga a um acompanhamento arqueológico e às necessárias autorizações por parte da Direção Geral do Património Cultural. Esta empreitada insere-se num projeto mais vasto que incluiu a construção das redes em Godigana e Carne Assada, um investimento de um milhão e 728 mil euros. Uma intervenção que beneficiou cerca de 450 habitantes. A rede de drenagem é constituída por duas bacias, incluindo a rede de coletores, uma estação elevatória de águas residuais em Casais de Cabrela e a construção das estações de tratamento de águas residuais (ETAR) de Godigana e da Cabrela. A ETAR de Godigana está concluída e representou um investimento de 394.530,79 euros.          Os SMAS de Sintra são a maior entidade gestora municipal de água e saneamento em Portugal, contando com mais de 190 mil clientes. Estes serviços municipalizados estão a investir, entre 2021 e 2025, mais de 80 milhões de euros na gestão e inovação dos sistemas de águas e resíduos.
Atendimentos presenciais encerrados
Atendimentos presenciais encerrados
Informamos que todos os atendimentos serão realizados exclusivamente por via telefónica e online.
Algumas ruas de Negrais – Interrupção do abastecimento de água
Algumas ruas de Negrais – Interrupção do abastecimento de água
Dia 11 de maio, das 08h30 às 11h30
Algumas zonas da U.F. de Sintra – Interrupção do abastecimento de água
Algumas zonas da U.F. de Sintra – Interrupção do abastecimento de água
Dia 13 de maio, das 09h00 às 13h00
U. F. Queluz – Belas e U. F. Agualva e Mira Sintra – Interrupção do abastecimento de água
U. F. Queluz – Belas e U. F. Agualva e Mira Sintra – Interrupção do abastecimento de água
Dia 11 de maio, das 00h10 às 03h00 (da madrugada)
Freguesia de Algueirão – Mem Martins e U. F. de Queluz e Belas – Interrupção do abastecimento de água
Freguesia de Algueirão – Mem Martins e U. F. de Queluz e Belas – Interrupção do abastecimento de água
Dia 11 de maio, das 02h10 às 06h00 (da madrugada)
Estrada da Ericeira, Lourel – Condicionamento de trânsito
Estrada da Ericeira, Lourel – Condicionamento de trânsito
De 12 de maio a 16 de julho de 2021
Atendimento Comercial
09:00h/17:30h
Leituras
24 horas
Resíduos Urbanos
24 horas
Avarias na Via Pública
24 horas