SMAS Sintra

Sintra instala 195 contentores enterrados na Serra das Minas
Sintra instala 195 contentores enterrados na Serra das Minas
Investimento dos SMAS de Sintra ascende a cerca de 450 mil euros
A renovação da contentorização na Serra das Minas, na freguesia de Rio de Mouro, está a avançar no terreno, complementando a empreitada em curso de remodelação da rede de abastecimento de água. Um investimento dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra (SMAS de Sintra) de cerca de 450 mil euros que se traduz na instalação de 195 contentores enterrados, com as valências de recolha de plástico/embalagens, papel/cartão, vidro e resíduos indiferenciados. “Este é um investimento, que está a decorrer em vários locais do concelho, que pretende melhorar a eficácia da recolha de resíduos e requalificar o espaço urbano”, afirma Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra e do Conselho de Administração dos SMAS de Sintra. Na Serra das Minas, “o município está a proceder à substituição de contentores de superfície por equipamentos enterrados nos atuais 41 pontos de deposição de resíduos urbanos, a que acrescem mais três locais, passando de 174 para um total de 195 contentores”, sublinha Basílio Horta. [gallery size="medium" ids="20256,20257,20258,20259,20260,20261,20262,20263,20264"] A instalação da nova contentorização na Serra das Minas vai traduzir-se num aumento de 187.000 L da capacidade de deposição indiferenciada e de 227.200 L ao nível da recolha seletiva, com um acréscimo de 21 equipamentos. Com o aumento da capacidade de deposição, os novos contentores vão contribuir para um melhor ambiente urbano, ao reduzirem as ocorrências de resíduos depositados anarquicamente nas imediações dos contentores, mas também ao diminuir o espaço ocupado na via pública. [gallery size="medium" ids="20249,20250,20251,20252,20254,20255"] A minimização do impacto causado aos munícipes, pela realização das obras no terreno, foi também uma preocupação dos SMAS de Sintra ao fazerem coincidir os trabalhos de instalação da nova contentorização com a empreitada de remodelação da rede de abastecimento de água, que representa um investimento de 1 milhão e 884 mil euros, e que se encontra em fase final de execução. Os SMAS de Sintra são a maior entidade gestora dos sistemas públicos municipais de distribuição de água em Portugal, contando com mais de 190 mil clientes. Estes serviços municipalizados estão a investir, entre 2021 e 2025, mais de 80 milhões de euros na gestão e inovação dos sistemas de água e resíduos.
SMAS de Sintra mantêm Certificação
SMAS de Sintra mantêm Certificação
Sistema de Gestão Integrado de Qualidade, Ambiente e Segurança e Saúde no Trabalho
Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra (SMAS de Sintra) viram renovada a sua certificação do Sistema de Gestão Integrado de Qualidade, Ambiente e Segurança e Saúde no Trabalho, respeitante ao abastecimento de água, saneamento de águas residuais urbanas e recolha e transporte de resíduos urbanos em todo o município de Sintra. Após a realização de auditoria, que decorreu entre 23 e 27 de novembro e de 2 a 4 de dezembro, a entidade certificadora APCER-Associação Portuguesa de Certificação emitiu os certificados de conformidade APCER n.º 2014/CEP.4541, APCER n.º2014/AMB.0690 e APCER n.º 2015/SST.0432, reconhecendo que os SMAS de Sintra cumprem os requisitos normativos e as disposições regulamentares e legislativas nas três áreas de atuação. Os SMAS de Sintra são certificados de acordo com a norma ISO 9001:2015, que tem por objetivo a melhoria contínua do desempenho dos serviços e a satisfação do cliente; a norma ISO 14001:2015, que revela o compromisso com a melhoria do desempenho ambiental; e a norma ISO 45001:2018, relativa à redução de riscos de acidentes e doenças profissionais e melhoria da satisfação e motivação dos trabalhadores. Os SMAS de Sintra querem assumir-se, cada vez mais, como a marca de referência no desenvolvimento sustentável do Município de Sintra, assente em elevados padrões de proteção e valorização dos sistemas ambientais, consolidando uma imagem de confiança, transparência e competência. Além da certificação da APCER, os SMAS de Sintra estão habilitados ainda como entidade formadora interna e várias instalações como o Edifício Sede e Instalações Oficinais da Portela e as Delegações do Cacém e de Queluz dispõem de certificação energética. Também o Laboratório dos SMAS, criado em 1985, está acreditado atualmente para 63 métodos analíticos, para águas de consumo, naturais doces e salinas, piscinas, residuais, lamas e a colheita de águas de consumo e naturais. A comemorar 75 anos a 22 de maio de 2021, os SMAS de Sintra são a maior entidade gestora dos sistemas públicos municipais de distribuição de água em Portugal, contando com mais de 190 mil clientes. Estes serviços municipalizados estão a investir, entre 2021 e 2025, cerca de 80 milhões de euros na gestão e inovação dos sistemas de água e resíduos.
SMAS de Sintra disponibilizam sacos para resíduos de construção e demolição
SMAS de Sintra disponibilizam sacos para resíduos de construção e demolição
Recolha gratuita de RCD até 1m³
Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra (SMAS de Sintra) disponibilizam, gratuitamente, sacos com capacidade de 1m³, vulgarmente designados por Big Bag, para deposição de resíduos de construção e demolição (RCD). A requisição do saco de 1m³ deve ser efetuada através do atendimento telefónico (número gratuito 800 210 020) ou do endereço de correio eletrónico geral@smas-sintra.pt, sendo a sua recolha com RCD assegurada gratuitamente pelos SMAS de Sintra, em data, hora e local a acordar com o requerente. O incorreto manuseamento ou a localização indevida do Big Bag, que inviabilize a sua remoção pelos meios normais e que implique a afetação de meios mecânicos complementares, quando imputáveis ao utilizador, originará a cobrança do serviço prestado. Em alternativa, o utilizador tem também a possibilidade de depositar os RCD, entre as 8h30 e as 12h00 e as 13h00 e as 16h00, nos dias úteis, nas instalações dos serviços situadas no Parque de Ouressa (centro empresarial na Avenida Almirante Gago Coutinho), mediante marcação para o Atendimento Telefónico (800 210 020). Recorde-se que a deposição deste tipo de resíduos na via pública, inclusivamente junto de contentores de recolha de resíduos urbanos, resulta numa infração  que poderá implicar o pagamento de coimas entre os 250 e os 22.000 euros, de acordo com o art.º 52 do Regulamento do Serviço de Recolha e Transporte de Resíduos Urbanos do Município de Sintra. Os RCD são resíduos provenientes de obras de construção, reconstrução, ampliação, conservação e demolições de edifícios e da derrocada de edificações, sendo recolhidos gratuitamente pelos SMAS até 1m3 por utilizador/obra, quando são provenientes de obras particulares isentas de licenciamento e não sujeitas a comunicação prévia, nos termos do Regime Jurídico da Urbanização e Edificação.
Sintra reforça recolha seletiva de biorresíduos
Sintra reforça recolha seletiva de biorresíduos
Após projeto piloto que envolveu cinco mil famílias
O Município de Sintra vai reforçar, em 2021, a recolha seletiva de resíduos alimentares, iniciada no passado mês de outubro em áreas piloto da freguesia de Rio de Mouro (com o lema “Bio-Recursos: demasiado bons para desperdiçar!”), alargando o sistema à União de Freguesias de Sintra, Freguesia de Colares e algumas localidades de Algueirão-Mem Martins e da União de Freguesias de Queluz e Belas. O objetivo dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra (SMAS de Sintra) é abranger mais 25 mil fogos habitacionais, a juntar aos cerca de cinco mil (num universo populacional de 15.000 habitantes) que integraram o projeto piloto que está em curso nas localidades de A-dos-Francos, Albarraque, Bairro da Felosa, Bairro da Tabaqueira, Cabra Figa (de baixo), Casal do Marmelo, Covas, Manique de Cima, Moncorvo de Baixo, Moncorvo de Cima, Paiões, Rio de Mouro (velho), Serradas, Varge Mondar e Várzea. Os SMAS de Sintra vão implementar, ainda, a recolha seletiva junto de alguns agentes económicos, nomeadamente do sector da restauração, e em estabelecimentos de ensino, com circuito dedicado e recolha porta-a-porta, por se tratarem de produtores de grandes quantidades de biorresíduos. “Dos resíduos que produzimos diariamente, cerca de 70% podem ser transformados em novas matérias-primas. Ao fazê-lo pouparemos recursos naturais, geraremos riqueza e garantiremos a sustentabilidade ambiental. Em suma, poremos em prática a Economia Circular. Prosseguir este objetivo é um desafio que só será vencido se for partilhado por todos”, realça Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal (CMS) e do Conselho de Administração dos SMAS de Sintra, dando conta que “valorizar resíduos gera mais emprego, melhor gestão dos dinheiros públicos e garante maior comodidade para as populações envolvidas”. Em 2022, o novo sistema de recolha vai abranger mais 70 mil famílias, envolvendo a totalidade da área urbana do concelho, cumprindo em 2023 a obrigatoriedade da recolha seletiva de biorresíduos, com mais 90 mil agregados familiares, englobando as uniões de freguesia de São João das Lampas e Terrugem e de Almargem do Bispo, Montelavar e Pero Pinheiro. Para concretizar a Operação “Sintra e os Biorresíduos”, os SMAS já apresentaram uma candidatura ao POSEUR (Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos), relativo a cofinanciamento de investimentos de recolha seletiva e valorização de resíduos alimentares, no valor global de 670 mil euros, e lançaram um concurso de aquisição de equipamentos de contentorização e sacos verdes. O projeto desafia os munícipes a efetuarem a triagem dos resíduos alimentares (restos de preparação e confeção de refeições, sobras de alimentos, restos de produtos frescos não embalados, como legumes, frutas, carnes, peixe, e pão e bolos). As famílias aderentes efetuam a deposição dos restos de comida em sacos verdes produzidos com 100% de saco plástico reciclado, que serão acondicionados num pequeno contentor castanho (de 7 litros) também distribuídos pelos SMAS de Sintra. O saco deve ser bem fechado e colocado diretamente nos contentores de resíduos indiferenciados existentes na via pública. Os SMAS de Sintra procedem à recolha de indiferenciados e à sua entrega na Tratolixo (empresa intermunicipal de Sintra, Cascais, Oeiras e Mafra). Os sacos são depois triados em unidade de tratamento mecânico que, através de sistemas óticos, efetua a separação, permitindo o seu tratamento de forma diferenciada. Os “Bio-Recursos” recolhidos serão transformados em composto orgânico ou energia, alavancando-se desta forma poupanças públicas e privadas na gestão dos resíduos urbanos, tendo igualmente em vista as metas preconizadas para o país no PERSU 2020+. “O Município de Sintra continuará a sua aposta na sustentabilidade ambiental e no cumprimento das metas comunitárias a que estamos nacional e internacionalmente comprometidos”, conclui Basílio Horta.
Atendimento Comercial
09:00h/17:30h
Leituras
24 horas
Resíduos Urbanos
24 horas
Avarias
24 horas
SMAS de Sintra vão ampliar ETAR da Azóia (Colares)
SMAS de Sintra vão ampliar ETAR da Azóia (Colares)
Investimento de 530 mil euros
Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra (SMAS de Sintra) vão proceder à ampliação e remodelação da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) da Azóia, na freguesia de Colares, num investimento estimado em 530 mil euros, com um prazo de execução de 480 dias (16 meses). A ETAR da Azóia está em funcionamento desde 1994, tendo sido dimensionada para uma população de 500 habitantes e um caudal médio de 80 m³/dia, o qual é ultrapassado em diversas ocasiões. Nesse sentido, a empreitada contempla a ampliação da estação de tratamento, com a construção de um conjunto de tanques, incluindo canal de oxidação e decantador secundário, a execução de unidade elevatória de lamas, a edificação de edifício para cisterna de água filtrada e poço de bombagem, entre outras obras, assim como a remodelação do edifício de exploração e arrecadação de cal e outros reagentes. Com tratamento biológico aeróbio por lamas ativadas de baixa carga, em sistema de vala de oxidação, a ETAR da Azóia será, ainda, dotada de mecanismos fiáveis de medição de caudais à entrada. Ao longo da realização da obra, a estação de tratamento continuará em funcionamento, dada a sensibilidade ambiental da zona, inserida em pleno Parque Natural de Sintra-Cascais.
SMAS de Sintra investem em São João das Lampas e Terrugem
SMAS de Sintra investem em São João das Lampas e Terrugem
Sistema de Saneamento de Alvarinhos, Areias, Barreira, São Miguel e Funchal
Encontram-se em fase de conclusão as obras do subsistema de saneamento de Barreira, São Miguel e Funchal, num investimento de 1 milhão e 100 mil euros, uma intervenção iniciada em meados de 2018. A empreitada compreendeu a remodelação de toda a rede de abastecimento de água, que se encontra garantido a partir do Reservatório da Amoreira, substituindo as condutas em fibrocimento que eram palco de frequentes roturas. Foram substituídos ainda os ramais domiciliários. Face à cota do lugar de Funchal, em relação ao reservatório, a intervenção compreende, ainda, a construção de uma estação hidropressora em Barreira, para elevação da pressão na rede de abastecimento. As obras permitiram dotar as localidades de Barreira, São Miguel e Funchal de rede de drenagem de águas residuais, em substituição das fossas sépticas que, devido à natureza rochosa do solo, podiam originar escorrências de efluentes. O subsistema de drenagem, que beneficia cerca de 250 habitantes, é encaminhado para as estações elevatórias de Barreira e Funchal e posterior ligação à rede existente e tratamento na ETAR de São João das Lampas. Para o presidente da Câmara Municipal e do Conselho de Administração dos SMAS de Sintra, Basílio Horta, “o investimento realizado é uma prioridade. Não podemos admitir que continuem a existir zonas sem acesso digno a este bem, tão essencial e importante, como é o saneamento”. O investimento dos SMAS de Sintra no território da União de Freguesias de São João das Lampas e Terrugem, que totaliza os 22 milhões de euros, vai prosseguir com as obras do subsistema de Alvarinhos e Areias, um investimento de dois milhões de euros, que arrancarão no primeiro trimestre deste ano. Com um prazo de execução de 900 dias, a empreitada em Alvarinhos e Areias vai beneficiar cerca de 600 pessoas e compreende a remodelação da rede de abastecimento de água, com substituição das condutas em fibrocimento, e construção da rede de drenagem de águas residuais, as quais serão encaminhadas para a futura ETAR de Alvarinhos. Dada a sensibilidade arqueológica da zona, o arranque das obras aguarda as devidas autorizações por parte da Direção Geral do Património Cultural.  Os SMAS de Sintra são a maior entidade gestora dos sistemas públicos municipais de distribuição de água em Portugal, contando com mais de 190 mil clientes. Estes serviços municipalizados estão a investir, durante o triénio 2019/2021, mais de 50 milhões de euros na gestão e inovação dos sistemas de água e resíduos.
SMAS reabilitam redes na Vila de Sintra
SMAS reabilitam redes na Vila de Sintra
Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra (SMAS de Sintra) promoveram, no âmbito de intervenção de requalificação urbana da Câmara Municipal, a remodelação das redes de abastecimento de água e de drenagem de águas residuais na Vila de Sintra. Os trabalhos efetuados, por administração direta, representaram um investimento de cerca de 70 mil euros. Nos últimos meses, foram intervencionadas as ruas da Ferraria, das Padarias, Costa do Castelo e da Fonte da Pipa, em trabalhos divididos por cinco fases de modo a minimizar os incómodos para a população residente e para os visitantes. No início de cada fase de obra, na área do abastecimento de água, as equipas dos SMAS de Sintra recorreram a tubagens provisórias (by-pass) à superfície, para possibilitar a continuidade do fornecimento de água à população, sendo, posteriormente, instaladas as tubagens em PVC e os ramais definitivos. A última fase destes trabalhos, que decorreram durante o período de menor afluência de turistas, em resultado da pandemia da COVID-19, tiveram lugar na Rua da Fonte da Pipa, onde, para além da substituição das condutas e ramais, foi instalada uma válvula redutora de pressão, para permitir regularizar a pressão de água nesta zona da Vila Velha. A intervenção nas quatro artérias do centro histórico Património da Humanidade contemplou, ainda, a renovação integral da rede de drenagem de águas residuais, composta por caneiros de alvenaria de pedra, que foram substituídos por tubagens em PVC. Ainda na sede de concelho, na Avenida da Aviação Portuguesa, os SMAS reabilitaram o coletor pluvial situado junto aos semáforos, no cruzamento com a Rua António Cunha, numa situação que já tinha provocado o abatimento de troço da via rodoviária. Neste local, a drenagem pluvial é assegurada por um canal de betão, que estava obstruído e assoreado, e cuja cobertura de lajes de betão se encontrava danificada, em resultado de obras de outros operadores de infraestruturas. Na Portela de Sintra, na Rua do Casal da Mina, os SMAS procederam à reparação do coletor doméstico de drenagem de águas residuais, na sequência do surgimento de um buraco no pavimento, o que obrigou à realização de inspeção vídeo que confirmou a anomalia. Os SMAS de Sintra são a maior entidade gestora dos sistemas públicos municipais de distribuição de água em Portugal, contando com mais de 190 mil clientes. Estes serviços municipalizados estão a investir, durante o triénio 2019/2021, mais de 50 milhões de euros na gestão e inovação dos sistemas de água e resíduos.   [gallery columns="2" size="medium" link="none" ids="16069,16070"]    
Sintra investe na melhoria do abastecimento de água
Sintra investe na melhoria do abastecimento de água
Intervenções em Morelena, Venda Seca e Dona Maria
Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS) de Sintra estão a investir 448 mil euros na melhoria do abastecimento de água nas uniões de freguesia de Almargem do Bispo, Montelavar e Pero Pinheiro e de São João das Lampas e Terrugem. Para o efeito, está a ser executada a instalação de condutas e válvulas redutora de pressão em Morelena, numa intervenção que vai beneficiar cerca de 7.500 pessoas. A empreitada abrange a instalação de conduta distribuidora, desde a Rua David Carrasqueira (Morelena) até à Avenida dos Lapiás (Pero Pinheiro), para abastecimento à Estação Elevatória da Pedra Furada, de forma a assegurar os caudais de elevação para Anços e Negrais. As obras compreendem ainda a execução de troço da conduta na Rua da Fonte, com início na Estrada do Urmal e final na Avenida Marquês de Pombal (Morelena), para assegurar a ligação da conduta distribuidora do futuro reservatório de Morelena à atual conduta adutora ao Reservatório de Montelavar. Será executada ainda uma caixa com válvula redutora de pressão em local próximo do futuro reservatório, simulando o seu funcionamento. O futuro reservatório de Morelena vai servir as localidades de Rebanque, Outeiro, Cruz da Moça, Murganhal, Morelena, Pero Pinheiro, Montelavar, Maceira, Pedra Furada e, indiretamente, Anços, Negrais e Alfouvar, passando todo o sistema a dispor de uma única origem em vez do atual abastecimento que provém de vários reservatórios. Em curso está ainda a reabilitação da Estação Elevatória da Venda Seca, em Belas, num investimento de 151.050 euros. A intervenção visa aumentar a capacidade do sistema em alta, adequando-o às necessidades previstas para a expansão da rede de distribuição da área de influência do Reservatório da Carregueira, beneficiando um universo populacional de 6.464 pessoas. As obras incluem remodelação de tubagens, revestimento e pinturas interiores e exteriores do edifício, impermeabilização de cobertura, alteração do quadro elétrico existente e medidor de caudal de tipo eletromagnético, arranjos exteriores e requalificação de pavimentos. Ainda na área do abastecimento de água, os SMAS de Sintra concluíram a intervenção de prolongamento da rede em Dona Maria, num investimento de 150 mil euros, que resultou da necessidade de garantir o abastecimento à zona alta do Bairro do Casal do Brejo. A respetiva rede foi ampliada desde a Rua Saibreiro até à entrada da AUGI (Área Urbana de Génese Ilegal) e vai beneficiar cerca de 1.580 habitantes.   Os SMAS de Sintra são a maior entidade gestora dos sistemas públicos municipais de distribuição de água em Portugal, contando com mais de 190 mil clientes. Estes serviços municipalizados estão a investir, durante o triénio 2019/2021, mais de 50 milhões de euros na gestão e inovação dos sistemas de água e resíduos.
Remodelação de redes em Pero Pinheiro
Remodelação de redes em Pero Pinheiro
Intervenção dos SMAS de Sintra nas avenidas da Liberdade e 25 de Abril
Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra (SMAS de Sintra) estão a promover a remodelação das redes de abastecimento de água e de drenagem de águas residuais domésticas e pluviais num troço da Avenida da Liberdade e na Avenida 25 de Abril, em Pero Pinheiro, numa intervenção com o valor de cerca de 210 mil euros e com um prazo de execução de 180 dias (seis meses). A obra resulta da acumulação de águas pluviais que se verifica, aquando de precipitação mais intensa, num troço da Avenida da Liberdade, pelo que será remodelado o coletor pluvial nesta artéria e na Avenida 25 de Abril, até à descarga na linha de água, além da instalação de novos escoamentos de água (sumidouros). Em simultâneo, serão renovadas as redes de abastecimento de água, incluindo ainda os ramais domiciliários, e de drenagem de águas residuais domésticas. Para a concretização da Fase 1 da empreitada, foi efetuado o corte total de circulação viária na Avenida 25 de Abril, no troço entre a Rua Joaquim Chilreia e o arruamento junto ao “Museu” Amadeu das Molas, numa intervenção que deverá decorrer até 5 de março. Sendo a Avenida 25 de Abril uma via de acesso à localidade de Montelavar, o trânsito é desviado pela Avenida da Liberdade até ao cruzamento com a Escola EB 2,3 Dr. Rui Grácio. No início de março, a intervenção obrigará a condicionalismos na circulação automóvel no troço da Avenida da Liberdade, vulgarmente conhecida por Estrada Nacional 9.
Remodelação das redes de abastecimento de água e drenagem pluvial na Portela de Sintra
Remodelação das redes de abastecimento de água e drenagem pluvial na Portela de Sintra
Investimento de dois milhões de euros inclui nova ciclovia
O Município de Sintra está a investir dois milhões de euros na remodelação das redes de abastecimento de água e de drenagem pluvial na Portela de Sintra, numa empreitada que inclui a execução de nova ciclovia. Com um prazo de execução de 34 meses (1020 dias), a intervenção constitui uma empreitada conjunta da Câmara de Sintra e dos Serviços Municipalizados de Água (SMAS) de Sintra, inserindo-se na estratégia municipal de melhoria da qualidade de vida da população. “A Câmara de Sintra tem desenvolvido um plano de investimento abrangente e que tem melhorado a qualidade de vida das pessoas. As ciclovias, o investimento na rede de distribuição de água e a capacidade das pessoas se descolaram em segurança, têm sido prioridades na atuação do município”, salienta o presidente da Câmara Municipal e do Conselho de Administração dos Serviços Municipalizados de Água (SMAS) de Sintra, Basílio Horta. A intervenção ao nível da rede de abastecimento de água, que vai beneficiar cerca de cinco mil habitantes, terá lugar numa extensão de mais de 7 km, com a instalação de condutas de PEAD (Polietileno de Alta Densidade) de diâmetros 90,110, 160 e 200 mm, em substituição das atuais em fibrocimento. As obras contemplam ainda a remodelação de 336 ramais de abastecimento de água. Os trabalhos na rede de drenagem pluvial vão ser concretizados no Largo Vasco da Gama, na zona contígua ao acesso à estação da Portela de Sintra. A empreitada compreende, ainda, o desvio de um coletor pluvial de diâmetro 600 mm que se encontra por debaixo das bancadas do campo de futebol do Sport União Sintrense. A ciclovia da Portela de Sintra terá uma extensão aproximada de 800 metros, permitindo incrementar a mobilidade suave e a segurança rodoviária, ordenar/requalificar espaços públicos e ligar equipamentos estruturantes, como a interface da Portela de Sintra, a Escola Secundária de Santa Maria e zonas de comércio e serviços.      Os SMAS de Sintra são a maior entidade gestora dos sistemas públicos municipais de distribuição de água em Portugal, contando com mais de 190 mil clientes. Estes serviços municipalizados estão a investir, durante o triénio 2019/2021, mais de 50 milhões de euros na gestão e inovação dos sistemas de água e resíduos.
SMAS de Sintra investem em Almargem do Bispo
SMAS de Sintra investem em Almargem do Bispo
Intervenções em curso em Camarões e Aruil
Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS) de Sintra estão a concluir a empreitada de construção da rede de águas residuais em Camarões, na União de Freguesias de Almargem do Bispo, Pero Pinheiro e Montelavar, numa empreitada que representa um investimento de 749.175 euros, e que contempla, também, a remodelação das condutas de abastecimento de água e ramais domiciliários. Com cerca de mil habitantes, a localidade de Camarões não dispunha, até ao momento, de rede de drenagem de águas residuais. A rede em construção tem a extensão de 3.560 metros, com ligação à futura ETAR (Estação de Tratamento de Águas Residuais) de Camarões, que implica o lançamento de nova empreitada. O futuro equipamento foi dimensionado, para além de servir o aglomerado urbano consolidado, em função da existência de AUGI (Áreas Urbanas de Génese Ilegal), cujo processo de recuperação e legalização inclui a execução de sistemas de drenagem. Os trabalhos em curso em Camarões, que se encontram na reta final de execução, consistem ainda na remodelação das condutas de abastecimento de água e ramais domiciliários. Ainda em Almargem do Bispo, os SMAS de Sintra estão também a concluir a construção do emissário de ligação em Aruil, um investimento de 274.456 euros, que vai servir cerca de 1.780 habitantes. [gallery columns="2" size="medium" ids="11464,11463"] O emissário tem uma extensão de cerca de 1.900 metros e está a ser instalado ao longo da margem da ribeira da Ponte, um afluente da Ribeira de Pinheiro de Loures, assegurando a ligação ao emissário de Covas de Ferro/Albogas. Servindo 1.780 habitantes, o novo emissário vai encaminhar as águas residuais para o sistema a cargo da Águas do Tejo Atlântico (ex-SANEST). Esta empreitada surge na sequência da construção da rede de coletores nas povoações de Aruil, Biqueirão e Alveijar, concluída em final de 2019 e que representou um investimento de 1 milhão e 134 mil euros.
SMAS de Sintra reabilitam Reservatório da Amoreira  (São João das Lampas)
SMAS de Sintra reabilitam Reservatório da Amoreira (São João das Lampas)
Investimento de 300 mil euros na melhoria da eficiência da rede de abastecimento de água
Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS) de Sintra estão a reabilitar o Reservatório da Amoreira (São João das Lampas) e a remodelar a respetiva conduta distribuidora, num investimento de 300 mil euros. Iniciada em final de Setembro, a empreitada tem um prazo de execução de 180 dias. A intervenção decorre das diversas patologias do Reservatório da Amoreira (constituído por duas células semi-enterradas, com capacidade de 175 m³ cada). A empreitada contempla, assim, a impermeabilização interna das células (cobertura, paredes e fundo), a impermeabilização exterior da cobertura das células e câmara de manobras, assim como a intervenção ao nível do revestimento exterior das fachadas das células e câmara de manobras e dos revestimentos interiores da câmara de manobras e salas anexas. A empreitada implica, ainda, o desvio da conduta de saída do reservatório, atualmente implantada em terrenos particulares, com a existente a ser colocada fora de serviço. As obras compreendem um prolongamento da rede existente, que permitirá a ligação das condutas na Rua Principal e na Rua da Lomba e possibilitará o abastecimento a Odrinhas, Alvarinhos, até ao Pobral. Será instalada uma conduta DN 200 mm em PEAD (Polietileno de Alta Densidade), numa extensão de cerca de 640 metros.      O abastecimento alternativo será efetuado através da rede de abastecimento de Godigana, com a instalação temporária de uma válvula redutora de pressão, no cruzamento da Rua da Pedra D’Oira com o caminho de acesso ao reservatório.
SMAS de Sintra investem um milhão e meio de euros em Mem Martins
SMAS de Sintra investem um milhão e meio de euros em Mem Martins
Renovação da rede de abastecimento de água com origem no Reservatório de Ouressa
Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS) de Sintra estão a investir um milhão e 500 mil euros na remodelação da rede de abastecimento de água de Mem Martins, com origem no reservatório de Ouressa. A empreitada tem um prazo de execução de 30 meses e insere-se na estratégia do município das infraestruturas da rede de abastecimento, com o objetivo de melhorar o desempenho e eficiência do sistema, assim como reduzir a ocorrência de ruturas, beneficiando uma população estimada em 13 mil e 360 habitantes. “A necessidade de intervenção na rede de distribuição de Mem Martins fundamenta-se na inadequação das redes existentes às solicitações atuais, pelo elevado número de ruturas e pelos incómodos e prejuízos causados à população”, acentua Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra e do conselho de administração dos SMAS. A obra abrange a remodelação de todas as condutas em fibrocimento, numa área de intervenção de 5,5 quilómetros, que inclui, ainda, a substituição dos ramais domiciliários e implementação de uma Zona de Medição e Controlo (ZMC). À semelhança da empreitada em curso na Serra das Minas (Rio de Mouro), a obra vai contemplar a substituição dos equipamentos de deposição de resíduos urbanos, com a instalação de 234 contentores semienterrados (75 para resíduos indiferenciados, 53 de plástico/embalagens, 53 de papel/cartão e 53 de vidro), implementados em 53 pontos de deposição.         Os SMAS de Sintra são a maior entidade gestora dos sistemas públicos municipais de distribuição de água em Portugal, contando com mais de 190 mil clientes. Estes serviços municipalizados estão a investir, durante o triénio 2019/2021, mais de 50 milhões de euros na gestão e inovação dos sistemas de águas e resíduos.
Sintra renova a rede de abastecimento de água na Serra das Minas
Sintra renova a rede de abastecimento de água na Serra das Minas
Investimento de um milhão e 844 mil euros
Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS) de Sintra têm em curso um investimento de um milhão e 844 mil euros na remodelação da rede de abastecimento de água na Serra das Minas, freguesia de Rio de Mouro.  A empreitada consiste na remodelação das infraestruturas de abastecimento de água em fibrocimento, redes antigas que apresentam perdas significativas de água, decorrente de roturas frequentes de difícil deteção, por se tratar de uma zona muito rochosa. “A necessidade de substituição de condutas deve-se à existência de roturas e fugas de água, motivadas pelo desgaste das tubagens em fim de vida útil, e à inadequação dos diâmetros das condutas”, frisa Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra e do conselho de administração dos SMAS, que realça que “a concretização destas obras vai possibilitar melhorar o desempenho da rede, a fiabilidade e conforto para os consumidores”.  A intervenção vai beneficiar uma população estimada em 12 mil habitantes, sendo substituídos todos os ramais domiciliários existentes, bem como a execução de ramais onde não existia abastecimento, o qual mantém como origem o Reservatório da Rinchoa. Para avaliar o desempenho da rede, está prevista a definição de Zonas de Medição e Controlo (ZMC). A obra contempla a execução de 11,3 km de novas condutas. Após a concretização da remodelação da rede, com a instalação de condutas em PVC (Policloreto de Vinilo), os SMAS de Sintra procedem à pavimentação das vias rodoviárias, assim como à execução dos pavimentos em calçada, no sentido de repor as condições de circulação rodoviária e pedonal na zona. A empreitada inclui, ainda, a substituição de contentores de superfície por equipamentos semienterrados de deposição de resíduos urbanos, correspondendo a 195 equipamentos, cuja aquisição motivou a abertura de um concurso específico por parte dos SMAS de Sintra, no valor global de cerca de 500 mil euros. Os SMAS de Sintra são a maior entidade gestora dos sistemas públicos municipais de distribuição de água em Portugal, contando com mais de 190 mil clientes. Estes serviços municipalizados estão a investir, durante o triénio 2019/2021, mais de 50 milhões de euros na gestão e inovação dos sistemas de água e resíduos.
SMAS de Sintra investem um milhão e 600 mil euros na Terrugem
SMAS de Sintra investem um milhão e 600 mil euros na Terrugem
Intervenção nas localidades de Silva, Faião, Cabrela e Casais de Cabrela
Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS) de Sintra estão a investir um milhão e 600 mil euros na remodelação das redes de abastecimento de água e construção das redes de drenagem de águas residuais domésticas em Silva, Faião, Cabrela e Casais de Cabrela, na União de Freguesias de São João das Lampas e Terrugem. A intervenção, com a duração de 900 dias, vai beneficiar cerca de 610 habitantes. A intervenção em Silva, Faião, Cabrela e Casais de Cabrela insere-se num plano de investimentos dos SMAS de Sintra, que ascende a 22 milhões e 246 mil euros no território da União de Freguesias de São João das Lampas e Terrugem. “O maior investimento dos SMAS é nesta freguesia, porque é aqui que é mais necessário, sendo um território muito vasto (87 km2). Esta intervenção insere-se na continuidade da estratégia da autarquia de investimento na melhoria dos sistemas de abastecimento de água e drenagem de águas residuais no concelho”, realça Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra e do conselho de administração dos SMAS de Sintra. A empreitada visa solucionar os atuais problemas da rede de abastecimento de água e assegurar as necessidades futuras. A rede de distribuição de água, numa extensão aproximada de cerca de 4 km, será construída em Polietileno de Alta Densidade (PEAD), assegurando, além do abastecimento de água às populações, o serviço de combate a incêndios, através da instalação de marcos de incêndio nos principais cruzamentos e bifurcações, com uma distância máxima de 200 metros. Com uma rede de coletores com cerca de 4,5 quilómetros, as águas residuais terão como destino final a futura ETAR de Cabrela. Os trabalhos contemplam a reposição dos pavimentos em todos os arruamentos abrangidos pela empreitada. O início das obras esteve previsto para o final de 2019, mas a empreitada foi suspensa por se desenvolver numa área de elevada sensibilidade arqueológica, o que obriga a um acompanhamento arqueológico e às necessárias autorizações por parte da Direção Geral do Património Cultural. Esta empreitada insere-se num projeto mais vasto que incluiu a construção das redes em Godigana e Carne Assada, um investimento de um milhão e 728 mil euros. Uma intervenção que beneficiou cerca de 450 habitantes. A rede de drenagem é constituída por duas bacias, incluindo a rede de coletores, uma estação elevatória de águas residuais em Casais de Cabrela e a construção das estações de tratamento de águas residuais (ETAR) de Godigana e da Cabrela. A ETAR de Godigana está concluída e representou um investimento de 394.530,79 euros.          Os SMAS de Sintra são a maior entidade gestora municipal de água e saneamento em Portugal, contando com mais de 190 mil clientes. Estes serviços municipalizados estão a investir, durante o triénio 2019/2021, mais de 50 milhões de euros na gestão e inovação dos sistemas de águas e resíduos.
Atendimentos presenciais encerrados
Atendimentos presenciais encerrados
Informamos que todos os atendimentos serão realizados exclusivamente por via telefónica e online.
Rua dos Murzelos  Corte de trânsito
Rua dos Murzelos Corte de trânsito
De 20 a 27 de janeiro
Corte de trânsito, Av.ª 25 de Abril, Pêro Pinheiro
Corte de trânsito, Av.ª 25 de Abril, Pêro Pinheiro
De 04 de janeiro a 5 de março