SMAS Sintra

Gestão de Perdas

Os SMAS de Sintra assumem, há mais de 30 anos, o combate às perdas de água com especial relevância.

Desde a década de 1990 que vêm a ser implementadas medidas e boas práticas  para a redução de perdas como:

  • O princípio de medição em todos os locais de consumo
  • A adoção de bons materiais na conceção das redes
  • Definição das necessidades e adequada elaboração de projetos
  • Exigência e rigor na execução das empreitadas
  • Sensibilização e motivação de todos os funcionários

Em 2002 foi criado um grupo de trabalho denominado “Grupo de Perdas”, envolvendo diversas Unidades Orgânicas dos SMAS de Sintra procurando a dinamização e reforço das medidas de redução de perdas.

O resultado desse trabalho é assinalável e contribuiu para práticas como:

  • Desenvolvimento do Plano de Combate às Perdas de Água;
  • Redução de tempos entre deteção de fuga e fecho de água;
  • Constituição de equipa para deteção de fugas;
  • Investimento em equipamentos e viatura de deteção de fugas;
  • Impermeabilização de reservatórios;
  • Remodelação de redes;
  • Fecho e selagem de locais de consumo sem contrato válido;
  • Manter os contadores nos locais de consumo, mesmo em baixa de contrato;
  • Protocolos com Corporações de Bombeiros na inspeção de Marcos de Incêndio e com a Táxi-Sintra na comunicação de roturas;
  • Reforço da fiscalização em obras privadas e publicas, prevenindo ou anulando consumos ilícitos;
  • Execução de Cortes Eficazes em clientes reincidentes no consumo indevido de água;
  • Fecho e selagem de Bocas de Incêndio e Marcos de Incêndio;

Em 2020, os SMAS de Sintra atingiram um valor de água não faturada de 18,4%, o mais baixo de sempre, refletindo as boas práticas e a continuidade das ações desenvolvidas na melhoria do sistema de abastecimento de água.

Pelo segundo ano consecutivo, este valor ficou abaixo dos 20%, o valor preconizado pela Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos (ERSAR), numa trajetória de redução que se verifica desde 2014. Nessa ocasião, os SMAS registavam 30,9% de água não faturada (incluindo as perdas físicas e as comerciais), correspondente a 8.475.162 m³, contra os 18,4% em 2020, equivalente a 4.895.704 m³, resultando numa poupança na ordem dos 3.579.458 m³.

Atualizado a 07/05/2021