SMAS Sintra

Ciclo Urbano da Água
Águas para consumo humano

Águas dos meios hídricos, superficiais e subterrâneos, que se destinam à produção de água potável, mediante tratamento prévio. Águas para consumo humano, de acordo com o Decreto-Lei nº 152/2017 de 7 de dezembro.

Captação de Água Tratamento Adução Armazenamento Distribuição
Utilização de volumes de água, superficiais ou subterrâneas, subtraídos ao meio hídrico. A água é recolhida em captações superficiais (rios, albufeiras e lagos) e em captações subterrâneas (furos, poços ou nascentes). No caso de Sintra, a água consumida é proveniente da Barragem de Castelo de Bode, Captação Valada – Tejo e Captação do Rio Alviela. Melhoria das características qualitativas da água, dos pontos de vista físico, químico, bacteriológico e organoléptico, de modo a poder ser utilizada para consumo humano. O tratamento é efetuado na Estação de Tratamento de Água (ETA), onde passa por diversos processos de depuração. Infraestrutura de transporte de água (ex: conduta, estação de bombagem, reservatório) desde a sua origem até à distribuição. No caso de Sintra, a principal infraestrutura deste tipo é a conduta adutora DN 1200 / 1000 mm entre os reservatórios do Alto de Carenque e das Mercês. Reserva de água destinada ao consumo humano e à distribuição pública. O armazenamento da água tem diversos propósitos, designadamente fazer face às variações diárias e sazonais de consumo, e constituir reserva para situações de avaria e emergência (ex.: incêndio). A distribuição é realizada através de um conjunto de condutas, órgãos de segurança, órgãos de manobra (válvula, ventosa, etc.), ramais domiciliários e contadores.
Sistema de abastecimento de água

Conjunto de estruturas e equipamentos que asseguram a conetividade hidráulica e que vinculam o meio hídrico a um conjunto de utilizadores, com o objetivo de prestação de serviços de abastecimento de água potável e/ou bruta.

População servida 392.145 habitantes (PORDATA, 2020)
Volume de água entrada no sistema (em 2020) 26 566 831 m³
Origem de água EPAL e captações dos SMAS de Sintra
N.º de captações próprias 5
Comprimento de condutas adutoras 158 km
N.º de estações de bombagem 34
N.º de reservatórios 53
Capacidade máxima de armazenamento 140 580 m³
Comprimento de condutas de distribuição de água 1663 km
Sistema de Drenagem e Tratamento de Águas Residuais

Sistema público de saneamento de águas residuais urbanas ou rede pública – sistema de canalizações, órgãos e equipamentos destinados à recolha, transporte, tratamento e destino final adequado das águas residuais, em condições que permitam garantir a qualidade do meio recetor, instalado, em regra, na via pública, em terrenos dos SMAS ou em outros, cuja ocupação seja do interesse público, incluindo os ramais de ligação às redes prediais;

Atualmente existem 1000 Km de redes e emissários, 17 ETAR em exploração, garantindo 95% de população servida.

O sistema de drenagem de águas residuais urbanas contempla as etapas da recolha, drenagem e tratamento das águas residuais.

Recolha Rede de Drenagem de Águas Residuais Estação de tratamento de Águas Residuais Descarga
A água depois de utilizada, origina águas residuais , que têm de ser recolhidas e transportadas através de uma rede de coletores, denominada rede de drenagem. Conjunto de coletores, estações elevatórias e câmaras de visita. que asseguram o encaminhamento a destino final das águas residuais urbanas provenientes das edificações (residências e serviços). Estação de tratamento de águas residuais (ETAR) – é uma infraestrutura na qual as águas residuais urbanas são sujeitas a diversos processos de tratamento por forma a reduzir as características que as tornaram poluentes. Estes processos dividem-se em pré-tratamento, tratamento primário, tratamento secundário e tratamento terciário. Em meio recetor natural – As águas residuais tratadas são descarregadas no meio recetor (rios, mares e oceanos), em condições ambientalmente seguras, isto é, sem poluírem o meio ambiente.

Reutilização – As águas residuais urbanas após tratamento nas ETAR, podem igualmente ser reutilizadas. Nos SMAS-SINTRA estas águas são aproveitadas internamente para a rega dos espaços verdes e para processos de lavagem. Deste modo preserva-se este recurso hídrico.

 

Estações Elevatórias 26
Rede de drenagem doméstica 1013 Km
ETAR em funcionamento 17
Taxa de cobertura (águas residuais) 95%
Taxa de tratamento (águas residuais) 100%

(Licenças de Descarga de Estações de Tratamento de Águas Residuais)

Telegestão

O sistema de Telegestão, permite assegurar volumes de armazenamento compatíveis com o consumo de água previstos e reais, operar remotamente e detetar anomalias em equipamentos, otimizar a bombagem em função dos tarifários energéticos, detetar fugas de água, monitorizar indicadores de qualidade da água, integrar zonas de medição e controlo, garantir a segurança das instalações.

Atualizado a 04/05/2021