SMAS Sintra

Destino Final de Resíduos
CÓDIGO LER 2018 DESCRIÇÃO DO LER CÓDIGO DE OPERAÇÃO DESTINO % PARA VALORIZAÇÃO/ ELIMINAÇÃO
20 03 01 Misturas de resíduos urbanos e equiparados R1 R3 R13 D1 Processamento no Tratamento Mecânico da Central Industrial de Tratamento de Resíduos Sólidos (Trajouce) e no Tratamento Biológico na CDA (Central de Digestão Anaeróbia – Abrunheira) /ou envio para o aterro da Tratolixo e outros destinos externos (aterro e incineração). Valorização (R1 R3 R13) – 73%
Eliminação (D1) – 27%
15 01 06 Mistura de Embalagens – Embalagens de plástico/metal R12 Armazenamento temporário e envio para processamento na Central de Triagem (num prestador serviço externo). Posterior envio dos produtos resultantes da triagem – embalagens de plástico, metal e ECAL (embalagem de cartão para alimentos líquidos) para reciclagem, através de diferentes entidades gestoras de embalagens. Valorização – 100% das embalagens são enviadas para processamento em entidade externa ou na Central de Triagem da Tratolixo, com vista à sua valorização através de reciclagem
15 01 07 Embalagens de vidro R13 Armazenamento temporário no cais de descarga do vidro (Ecocentro de Trajouce) e envio para reciclagem através das entidades gestoras de embalagens. Valorização – 100% das embalagens são enviadas para processamento em entidade externa ou na Central de Triagem da Tratolixo, com vista à sua valorização através de reciclagem
20 01 01 Papel e Cartão R12 Processamento na Central de Triagem de papel e cartão do Ecoparque de Trajouce. Envio de fardos de papel/cartão mistos para reciclagem através das diferentes entidades gestoras de embalagens. Valorização – 100% das embalagens são enviadas para processamento em entidade externa ou na Central de Triagem da Tratolixo, com vista à sua valorização através de reciclagem
20 03 03 Resíduos de limpeza de ruas R12 R13 Os resíduos de limpeza são processados internamente e os resíduos resultantes desse processamento (LER 19 12 12) são encaminhados para o aterro da Tratolixo: operação de valorização – R10, ou de eliminação – D1. Envio dos resíduos da limpeza de ruas para processamento em entidade externa. Valorização – 100%
20 03 07 Resíduos volumosos (“monos” ou “monstros”) R12 Os resíduos volumosos não separados são enviados para o Ecocentro de Trajouce onde é feita a segregação dos materiais com potencial de valorização, os quais são encaminhados posteriormente para reciclagem, nomeadamente:

• Sucata – LER 20 01 40;

• Diferentes fluxos de REEE;

• Plásticos não embalagem – LER 20 01 39;

• Colchões – LER 20 03 07;

•Madeira não embalagem que é processada internamente nas instalações de Trajouce para produção de estilha e encaminhada posteriormente para Valorização Orgânica na CDA.

Os restantes resíduos são processados internamente e o rejeitado (LER 19 12 12) é encaminhado para o aterro da Tratolixo, com operação de eliminação D1.

Valorização – 100%
20 02 01 Resíduos biodegradáveis (resíduos verdes) R3 R12 Destroçamento destes resíduos no Ecocentro de Trajouce para produção de estilha, que segue posteriormente para valorização orgânica na CDA (Central de Digestão Anaeróbia) da Abrunheira.
Envio de resíduos de jardins e parques, biodegradáveis para processamento em entidade externa e de estilha para valorização em entidade externa.
Valorização (R3) – 11%
Valorização (R12) – 89%
20 01 25 Óleos e gorduras alimentares R9 D1 Refinação de óleos alimentares usados e outras reutilizações de óleos na entidade Gaspar Serra Lda.

Eliminação do vasilhame.

Valorização OAU – 90% (10% sujidade e impurezas)

Eliminação 100% vasilhame

DESCRIÇÃO DA OPERAÇÃO (R- operações de valorização/ D – operações de eliminação)

R1 – Utilização principal como combustível ou outro meio de produção de energia – inclui instalações de incineração dedicadas ao processamento de resíduos sólidos urbanos apenas quando a sua eficiência energética é igual ou superior aos seguintes valores: 0,60 / 0,65

R3 – Reciclagem/recuperação de substâncias orgânicas não utilizadas como solventes (incluindo digestão anaeróbia e ou compostagem e outros processos de transformação biológica). Se não houver outro código R adequado, este pode incluir operações preliminares anteriores à valorização, incluindo o pré -processamento, tais como o desmantelamento, a triagem, a trituração, a compactação, a peletização, a secagem, a fragmentação, o acondicionamento, a reembalagem, a separação e a mistura antes de qualquer das operações enumeradas de R1 a R11

R5 – Reciclagem/recuperação de outros materiais inorgânicos. Esta operação inclui a limpeza dos solos para efeitos de valorização e a reciclagem de materiais de construção inorgânicos

R12 – Troca de resíduos com vista a submetê-los a uma das operações enumeradas de R1 a R11 da Lista Europeia de Resíduos

R13 – Armazenamento de resíduos destinados a uma das operações enumeradas de R1 a R12 (com exclusão do armazenamento temporário, antes da recolha, no local onde os resíduos foram produzidos)

D1 – Depósito no solo, em profundidade ou à superfície (por exemplo, em aterros, etc.).
A Lista Europeia de Resíduos, LER, publicada pela Decisão 2014/955/UE, da Comissão, de 18 de dezembro, que altera a Decisão 2000/532/CE, da Comissão, de 3 de maio, referida no artigo 7.º da Diretiva 2008/98/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 19 de novembro.

Outras informações prestadas no âmbito do MIRR (Mapa Integrado de Registo de Resíduos)

Transportador: Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra Código APA SMAS: APA00371234
NIF SMAS: 680000054

Destino dos resíduos urbanos ou equiparados a urbanos transportados:
Tratolixo – Tratamento de Resíduos Sólidos Código APA Tratolixo: APA00086475
NIF Tratolixo: 502444010

A TRATOLIXO é uma empresa intermunicipal responsável pelo serviço público de tratamento de Resíduos Urbanos produzidos entre outros pelo município de Sintra.

Atualizado a 13/10/2020