SMAS de Sintra apostam na Economia Circular como catalisador de boas práticas ambientais e de inovação.

Para o biénio 2019/2020, os SMAS de Sintra têm em curso ações de interação junto da comunidade escolar e dos cidadãos em geral. No contexto de implementar uma economia circular e com o objetivo de contribuir para um ideal de desmaterialização, economia colaborativa e consumo sustentável, encoraja-se os cidadãos a utilizarem os recursos de forma sustentável, apontando à valorização de resíduos. Neste âmbito, destaca-se o projeto “Tornar a Economia Circular – Reciclar e Reutilizar” no combate ao desperdício, desafiando à reutilização e transformação de plásticos e outros materiais (resíduos) em novos produtos.

Dentro do âmbito das atividades desenvolvidas, os SMAS promovem também ações que contribuem para uma maior consciencialização dos cidadãos relativamente ao uso eficiente dos recursos.

O município tem vários projetos de educação e sensibilização ambiental, disponíveis nos sites www.smas-sintra.pt e www.ambiente.sintra.pt, que focam temáticas relativas à incorreta deposição dos resíduos e poluição da água, entre outras questões, informando como os ecossistemas terrestres e aquáticos são diretamente afetados por estes fatores que colocam em risco a sua biodiversidade.

Da atuação conjunta entre os Serviços Municipalizados e a Câmara Municipal de Sintra, referenciamos algumas das últimas atividades:

O projeto “O que Caí ao Chão, Caí ao Mar”, compreende a pintura deste slogan nas sarjetas de águas pluviais, alertando para resíduos que são lançados ao chão como embalagens descartáveis, beatas de cigarro, copos de plástico e que, pela sua dimensão e leveza, vão confluir no mar. Estes atos provocam a contaminação dos meios hídricos e podem, em última instância, interferir com a cadeia alimentar dos animais marinhos.

O “Ecocabide” consiste na divulgação da funcionalidade dos três ecopontos e da importância da reciclagem. Este dispositivo é disponibilizado em festas, feiras e outras atividades, permitindo aos visitantes fazerem a correta deposição dos resíduos e promovendo a literacia da sustentabilidade.

Os “Beatómetros”, são equipamentos utilizados na recolha de beatas, sensibilizando para o problema das beatas deitadas ao chão, elementos que não são biodegradáveis. Na sua decomposição o filtro libertar cerca de 4700 substâncias que, quando não são devidamente recicladas, acabam por se transformar em microplásticos entrando no ciclo da água e na cadeia alimentar.

Os SMAS de Sintra apelam à redução, reutilização e reciclagem de todos os resíduos, por um concelho, um país e um mundo mais verde e azul.

Atualizado a 09/10/2020