SMAS Sintra

“Bio-Recursos”
Estratégia de Intervenção na Gestão e Recolha Seletiva de Biorresíduos

O Projeto Piloto de Recolha de Biorresíduos (RUB), iniciado pelos SMAS de Sintra em 19 de outubro de 2020, tem o objetivo de implementar um sistema de recolha seletiva de biorresíduos (resíduos alimentares) de produtores domésticos, de forma inovadora e com recurso a sistemas complementares e pioneiros de recolha seletiva, sem que esta onere significativamente a componente de recolha / fluxo operacional dos mesmos.

O projeto tem o superior objetivo de, conforme pretendido no PAPERSU 2020+ do Município de Sintra, reduzir a produção de resíduos indiferenciados através do incentivo à separação da fração de RUB, potenciando assim, o aumento da recolha seletiva multimaterial de resíduos, na prossecução de implementação / execução da Estratégia de Intervenção na Gestão e Recolha Seletiva de Biorresíduos (RUB). Para que este objetivo tenha resultados tangíveis, há que atuar em duas frentes: tornar o sistema de deposição e recolha seletiva, de resíduos, mais eficaz e próximo das pessoas; e assertivamente convergir e inverter a tendência, reduzindo a quantidade de resíduos produzidos.

Objetivos gerais
  • Garantir uma atuação e metodologia de Gestão e Recolha Seletiva de Biorresíduos (RUB) ambientalmente sustentável, coincidente com a “Valorização de resíduos, reduzindo a produção e deposição em aterro, aumentando a recolha seletiva e a reciclagem” e redução de “Deposição de RUB em aterro”, de acordo com o Regulamento Específico do domínio Sustentabilidade e eficiência no Uso de Recursos (RESEUR);
  • Cumprimento da meta de obrigatoriedade da recolha seletiva de biorresíduos a partir de 31 de dezembro de 2023 – Transposição da Diretiva-Quadro de Resíduos;
  • Contribuir para a prossecução da Estratégia Municipal de Educação e Sensibilização Ambiental do Município de Sintra e para o objetivo estratégico dos SMAS de Sintra de assegurar o envolvimento na promoção da sustentabilidade ambiental, rumo a um ciclo produtivo e à prestação de um serviço público mais sustentável, em toda a cadeia de valor promovendo a reutilização dos recursos e dos materiais, contribuindo para a diminuição da pegada ecológica.
Objetivos específicos
  • Garantir que as ações de sensibilização ambiental do projeto estejam alinhadas com a Estratégia Nacional de Educação Ambiental 2020 (ENEA 2020), designadamente do pilar “Tornar a Economia Circular”, conceito estratégico que assenta na redução, reutilização, recuperação e reciclagem de materiais e energia, promovendo e contribuindo para uma maior consciencialização dos cidadãos relativamente ao uso eficiente de recursos;
  • Garantir uma atuação convergente com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 2030 das Nações Unidas e com o Plano de Ação para a Economia Circular (PAEC), em particular, no princípio de “manter produtos e materiais em utilização, preferencialmente no seu valor económico e utilitário mais elevado, pelo máximo tempo possível”;
  •  Realizar ações de sensibilização e informação relevantes e de proximidade, com o desenvolvimento de uma campanha de sensibilização ambiental porta-a-porta (PaP) destinada a mobilizar os munícipes / utilizadores para a adesão ao novo formato de deposição, em saco dedicado / próprio, identificando vantagens individuais da operação, promovendo a temática “produção e consumo sustentáveis” do ODS;
  • Facilitar a informação e prossecução dos objetivos para cumprimento das metas de reciclagem, assegurando assim a redução e valorização de produtos e materiais que chegam ao seu fim de ciclo de vida, consciencializando a população em geral para o desenvolvimento social e ambiental sustentável, para a mudança de atitudes e adoção de melhores práticas ambientais.
Sobre o Projeto

A implementação deste novo sistema é precedida da distribuição de contentorização (balde) e sacos específicos (produzidos com 100 por cento de plástico reciclado) para deposição destes resíduos, a cada um dos fogos abrangidos.

Em simultâneo será efetuada uma ação de sensibilização ambiental, que introduz e apela a uma correta separação, informa sobre procedimentos de deposição, bem como sobre as mais-valias deste novo sistema.

Com o Lema “Bio Recursos: demasiado bons para desperdiçar!”, a ação baseia-se numa abordagem positiva por contacto pró-ativo, na modalidade mista de telefone-a-telefone (TaT) e porta-a-porta (PaP), garantindo a maior segurança aos munícipes face às atuais exigências e risco sanitário. Nestas abordagens, são apresentadas vantagens de adesão a este sistema de deposição seletiva de orgânicos: menor produção de resíduos indiferenciados (menos esforço e tempo gastos na gestão doméstica dos resíduos), redução do espaço ocupado em aterros, e maior aproveitamento de recursos para energia e composto orgânico.

A abordagem direta aos munícipes é antecedida pela distribuição de materiais informativos nas caixas de correio e pela divulgação de conteúdos nas redes sociais e canais de comunicação local. Os aderentes a este sistema de valorização são reconhecidos com o dístico “Porta – Recursos”, potenciando os efeitos de pertença e reconhecimento social.

Zonas abrangidas

O circuito de recolha de resíduos alimentares no município de Sintra, abrangerá 4752 fogos (cerca de 14.300 habitantes), nas zonas piloto de A-dos-Francos, Albarraque, Bairro da Felosa, Bairro da Tabaqueira, Cabra Figa (de Baixo), Casal do Marmelo, Covas, Manique de Cima, Moncorvo de Baixo, Moncorvo de Cima, Paiões, Rio de Mouro (velho), Serradas, Varge Mondar e Várzea.

Como participar / Aderir
  1. Faça a sua adesão através do contacto 910 443 505*
  2. Posteriormente irá entrar em contacto consigo, a equipa de sensibilização que lhe entregará os equipamentos e todas as informações do projeto.
  3. Entregue os seus resíduos alimentares para valorização e contribua para um ambiente mais sustentável.

*Apenas para as zonas piloto de A-dos-Francos, Albarraque, Bairro da Felosa, Bairro da Tabaqueira, Cabra Figa (de Baixo), Casal do Marmelo, Covas, Manique de Cima, Moncorvo de Baixo, Moncorvo de Cima, Paiões, Rio de Mouro (velho), Serradas, Varge Mondar e Várzea

Vantagens da adesão

Ao participar neste projeto permite que exista menos produção de resíduos indiferenciados, reduzindo o espaço ocupado em aterros. Transformando os seus resíduos alimentares em composto orgânico ou energia. Poupa também poupanças públicas e privadas na gestão dos resíduos urbanos e ajuda o ambiente.

Atualizado a 16/10/2020