Para fomentar a adesão à recolha seletiva de resíduos alimentares, que já está implementada em todo o concelho, os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra (SMAS de Sintra) definiram um desconto de 1€, por cada 30 dias, no tarifário dos serviços de águas e resíduos para 2023. Para além dos benefícios ambientais que resultam da valorização dos biorresíduos, para a produção de composto para solos agrícolas ou de energia, os aderentes passam a contar com um desconto ao nível da tarifa de resíduos urbanos que integra a fatura dos SMAS de Sintra.

Os SMAS de Sintra pretendem, assim, potenciar o número de aderentes ao sistema de recolha seletiva de resíduos alimentares, que será obrigatório, em todo o país, a partir do início de 2024. Desde o passado dia 1 de outubro, o sistema foi implementado em todo o concelho de Sintra, aumentando o número de potenciais aderentes para 385 mil pessoas, após uma série de ações de expansão, em 2021 e 2022, no âmbito da Operação “Sintra e os Biorresíduos”, um investimento dos SMAS de Sintra na ordem dos 670 mil euros, que conta com financiamento do POSEUR (Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos) no montante de 219.541,16€.

O novo sistema de recolha seletiva de restos orgânicos, correspondentes a mais de 40% da produção de resíduos indiferenciados (lixo comum), arrancou em Sintra através de um projeto piloto, em final de 2020, em algumas localidades da freguesia de Rio de Mouro, sob o lema “Bio-Recursos-Demasiado bons para desperdiçar!”, que permitiu chegar a cerca de 15 mil pessoas, num universo de 5 mil alojamentos.

Para aderir ao sistema, os munícipes apenas necessitam de preencher um formulário disponível no site dos SMAS de Sintra, em https://www.smas-sintra.pt/adesao-a-recolha-seletiva-de-biorresiduos/, sendo-lhe, posteriormente, entregue em casa um pequeno balde (de sete litros) e sacos verdes. A adesão também pode ser formalizada nos balcões de atendimento dos SMAS de Sintra, situados na Portela de Sintra (sede), Queluz, Agualva-Cacém e da Loja do Cidadão do Cacém.

Os resíduos alimentares, tanto crus como os cozinhados, deverão ser colocados nesses sacos verdes que, depois de cheios e bem fechados, serão depositados nos contentores de resíduos indiferenciados. Quando chegam à Tratolixo, entidade que efetua o tratamento dos resíduos nos concelhos de Sintra, Cascais, Oeiras e Mafra, os sacos verdes são triados, através de um sistema de leitura ótica, e encaminhados para valorização: produção de energia ou de composto orgânico.

À semelhança do que acontece no momento da adesão ao sistema, também o reforço dos sacos verdes poderá ser efetuado no site dos SMAS de Sintra ou através do contacto 910 443 505, sendo a sua entrega concretizada, gratuitamente, na residência dos munícipes, o que já está a acontecer, de forma regular, por iniciativa dos próprios SMAS de Sintra.

Registe-se que, segundo as estimativas da Tratolixo (relativas ao período de 2023 a 2027), Sintra será o concelho que mais contribuirá para a recolha seletiva de resíduos orgânicos (42,9% do total), estimando-se que em 2023, em Sintra, sejam recolhidos 7.330 toneladas de biorresíduos (num total de 17.100 t/ano nos quatro concelhos); 14.659 toneladas em 2024 (num total de 34.200 t/ano); 21.989 toneladas em 2025 (num total de 51.300 t/ano); 36.648 toneladas em 2026 (num total de 85.500 t/ano) e 51.436 toneladas em 2027 (num total de 120.000 t/ano).

Os SMAS de Sintra vão, ainda, reforçar a recolha junto de agentes económicos do setor de restauração, assim como em instalações de cariz educativo e social (como os estabelecimentos de ensino e instituições particulares de solidariedade social), que produzem grandes quantidades de biorresíduos. Para o efeito, está em processo de aquisição uma viatura, no valor de 242 mil euros, que se destina à remoção, compactação, transporte e descarga de resíduos orgânicos, equipada com sistema de lavagem de contentores.

Atualizado a 06/01/2023