Valor abaixo dos 20% pela primeira vez, que se traduz numa poupança de três milhões e 679 mil metros cúbicos de água.

Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS) de Sintra mantêm a sua aposta na melhoria da qualidade dos serviços prestados à população do concelho, nas suas diferentes áreas de atuação: abastecimento de água, drenagem e tratamento de águas residuais e recolha de resíduos urbanos.

Com um orçamento na ordem dos 81 milhões de euros no corrente ano, o montante canalizado para investimento ascende a 15,5 milhões, com particular enfoque para a renovação de infraestruturas, nomeadamente da drenagem de águas residuais e das redes de distribuição de água, neste caso no sentido de reduzir a ocorrência de roturas e, consequentemente, as perdas de água.

“A realização destes investimentos permitirá melhorar o desempenho funcional e obter ganhos significativos do ponto de vista operacional, económico e ambiental”, realça Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra e do conselho de administração dos SMAS, que salienta, como um dos principais indicadores da eficiência dos serviços municipalizados, “a continuidade do trabalho de redução das perdas de água que tem sido uma referência dos SMAS de Sintra ao longo dos últimos anos”.

Os SMAS de Sintra terminaram 2019 com o melhor resultado de sempre ao nível de perdas de água, com 18,4%, um valor pela primeira vez abaixo do preconizado (20%) pela Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos (ERSAR). No primeiro semestre de 2020, os indicadores estão estabilizados, mantendo-se os SMAS de Sintra no grupo das entidades gestoras com eficiência satisfatória.

A redução das perdas de água no concelho de Sintra foi, assim, significativa no período de 2014 a 2019, com uma poupança de três milhões e 679 mil metros cúbicos de água. Em cinco anos, os SMAS de Sintra conseguiram, assim, reduzir as perdas de água em cerca de 45%, passando de 8.406.051 m3 para 4.726.467 m3.

Com o valor atingido em 2019 (abaixo de 20%), estes serviços municipalizados alcançaram o objetivo um ano antes do previsto, fruto do investimento na remodelação da rede de abastecimento de água, assim como da instalação de zonas de medição e controle (ZMC) e através de pesquisa ativa de fugas não visíveis. No corrente ano, os serviços municipalizados já detetaram 34 fugas não visíveis, o que se traduziu num volume de água recuperado de mais de 152 mil m3 de água.

 

Obras em curso

Os SMAS de Sintra têm em curso diversas empreitadas, como é o caso das remodelações da rede de abastecimento de água em Mem Martins com origem no reservatório de Ouressa (um milhão e 523 mil euros); em Silva, Faião, Cabrela e Casais de Cabrela, na Terrugem (um milhão e 600 mil euros) e na Serra das Minas (um milhão e 844 mil euros).

A curto prazo, vão iniciar-se duas empreitadas, em intervenções conjuntas entre Câmara Municipal de Sintra e SMAS, respeitantes à remodelação das redes na Portela de Sintra, incluindo a execução de ciclovia até à Escola Secundária de Santa Maria (dois milhões e 57 mil euros), e a renovação da rede de abastecimento de água no Algueirão, com execução de ciclovia de ligação de Ouressa à Igreja do Algueirão (três milhões e 500 mil euros). Os SMAS de Sintra vão avançar ainda com a reabilitação do Reservatório da Amoreira (São João das Lampas) e remodelação da conduta distribuidora (300 mil euros) e a reabilitação do reservatório da Praia das Maçãs (148 mil euros).

Nos primeiros meses de 2020, foram concluídas diversas obras, como as remodelações das redes no Bairro Económico de Queluz (um milhão e 790 mil euros), no Bairro da Tabaqueira (578 mil euros) e nas avenidas das Olaias, Acácias, Plátanos, Laranjeiras e envolventes, na Rinchoa (701 mil euros), para além da renovação das condutas adutoras ao Reservatório do Cotão e Distribuição ao Cacém, no troço instalado na galeria sob o IC19 (235 mil euros), e o prolongamento da rede em Dona Maria (145 mil euros).

Racionalizar e garantir a utilização sustentável dos recursos hídricos é também um dos objetivos dos SMAS de Sintra que, para o efeito, criaram o Projeto “EcoÁgua”, iniciado há mais de 15 anos e que visa a reutilização de águas residuais tratadas para fins múltiplos, como a lavagem e higienização de contentores de superfície, varrição urbana e lavagem de arruamentos, limpeza e desobstrução de coletores de drenagem de águas residuais, limpeza de mecanismos das estações de tratamento de águas residuais. Em mais de 15 anos, o Projeto “EcoÁgua” traduziu-se em 2.634.850 metros cúbicos de água reutilizada, o equivalente a uma poupança de mais de um milhão e 475 mil euros.

O projeto conta atualmente com uma dezena de pontos “EcoÁgua”, em Almoçageme, Colares, Janas, Cavaleira, Cortegaça, Negrais, Montelavar, Magoito, Ribeira e Vila Verde, e deverá ser reforçado com mais localizações em Almargem do Bispo, Azóia e São João das Lampas.

Os SMAS de Sintra são a maior entidade municipal gestora ao nível do abastecimento de água, com mais de 190 mil clientes, com o seu sistema a assentar em 1.812 quilómetros de condutas, 53 reservatórios e 33 estações elevatórias, servindo 100% da po pulação. Estes serviços municipalizados estão a investir, durante o triénio 2019/2021, mais de 50 milhões de euros.

 

Atualizado a 01/10/2020