PROJETO DE VALORIZAÇÃO E RECICLAGEM DE

TÊXTEIS e MÁSCARAS

COMO TRATAMOS A ROUPA QUE NOS É ENTREGUE?

Seja para troca ou para reciclagem, todas as peças têm valor.

Todas as peças de roupa que queira depositar podem ter uma segunda vida.

Caso as peças entregues estejam em bom estado e sem defeitos de uso podem ser entregues ou partilhadas através da loja social digital, mantendo o anonimato de quem a carregou, podendo ser trocadas por outros artigos disponíveis.

REGISTE-SE

Adira à plataforma To Be Green

PARTILHE

Partilhe na APP a roupa que já não usa

ACUMULE

Acumule pontos com cada partilha de roupa

TROQUE

Troque pontos
por peças de
roupa

Aderir à plataforma da To Be Green para a troca e reciclagem de vestuário é bastante simples: basta criar uma conta e pode começar a partilhar as suas peças de roupa que já não usa!

O FUTURO DO PLANETA NÃO É RECICLÁVEL!

O FUTURO É… UPCYCLING

Os consumidores estão cada vez mais conscientes da necessidade de valorizar e reutilizar os materiais e/ou produtos em fim de vida e querem participar em projetos que deixem uma marca ecológica e socialmente responsável e que contribuam para a construção de um planeta mais sustentável.

AO RECICLAR ESTÁ A POUPAR RECURSOS
SALVA ATÉ:

Levamos a sustentabilidade muito a sério, por isso procuramos os parceiros com o know-how adequado, para implementar as melhores soluções na redução do impacto ambiental do pós-consumo, para impulsionar a criação de valor para todas as partes interessadas, designadamente, munícipes, instituições sociais, comunidades locais, e sociedade em geral.

A indústria têxtil é considerada uma das mais poluentes, desde a produção, fabrico, transporte e uso (lavar, secar e engomar).

Assim, o município e os SMAS de Sintra, em parceria com a To Be Green, proporcionam uma abordagem inovadora à indústria da moda, em circuito fechado e verdadeiramente sustentável, na medida em que a valorização e reciclagem de têxteis permite reduzir drasticamente o impacte ambiental das peças de vestuário e é uma estratégia essencial para alcançar os ambiciosos objetivos climáticos que os Estados-Membros devem garantir até 2025.

É URGENTE REDUZIR!

48 milhões de toneladas de roupa são descartadas em todo o mundo todos os anos

A indústria do pronto a vestir, com a constante disponibilização de coleções a baixos preços, levou a um grande aumento da quantidade de vestuário fabricado e deitado fora.

Todos os anos, são produzidos mais de 100 mil milhões de peças de vestuário.  E das mais de 48 milhões de toneladas de vestuário eliminadas, 73% vão diretamente para aterro ou incineração. Com o consumo global da moda projetado para crescer 62% de 2015 a 2030, a sua pegada ambiental associada também crescerá.

Ao mesmo tempo, a indústria da moda precisa de reduzir as suas emissões em 50% até 2030 para se alinhar com o percurso de 1,5 graus. Isto significa que existe uma enorme lacuna a colmatar.

A adoção acelerada de algodão reciclado pela indústria é uma das principais estratégias que podem ser aplicadas para alcançar este ambicioso objetivo.

A ROUPA QUE NÃO USAMOS NÃO PODE IR PARA O LIXO

Caso não pretenda integrar a rede de partilha na APP, pode simplesmente depositar as suas peças num dos contentores disponíveis.

O vestuário será destinado ao Banco de Recursos da Câmara Municipal de Sintra ou a uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS).

DEPOSITE

Deposite a roupa que já não usa nos contentores disponíveis numa das entidades parceiras

ENTREGUE

As peças de roupa serão
entregues ao Banco de
Recursos da CMS ou a
uma IPSS

Caso as peças apresentem alguns danos, serão encaminhadas para reciclagem e serão transformadas em novas fibras têxteis.

O PROCESSO DE UPCYCLING TRANSFORMA E VALORIZA O DESPERDÍCIO PÓS-INDUSTRIAL E PÓS-CONSUMO EM NOVAS FIBRAS.

O futuro é incerto para nós e para o planeta. Os consumidores sabem disso e querem apoiar projetos que auxiliem a transformação do setor numa indústria ecológica e socialmente responsável.

Com a preocupação crescente em processos e cadeias produtivas responsáveis, a ideia de reutilizar materiais pós-consumo e de criar novos produtos a partir de algo que já existe é bastante interessante.

Ao reaproveitar o material original, a vida útil do produto é prolongada, evitando que ele seja rejeitado e  substituído por uma nova versão – que, eventualmente, também seria descartada.

O processo de reciclagem mecânica de resíduos têxteis, transforma resíduos em matéria-prima para novos materiais. E o output da reciclagem é uma fibra que pode ser usada para fazer novos fios e/ou tecidos.

“Quando todas as partes interessadas sentem que a sua contribuição é parte da solução, é mais provável que todos desenvolvam os seus melhores esforços para apoiar a iniciativa.” (Mefalopulos, Paolo, 2008)

Com a preocupação crescente em desenvolver processos e cadeias produtivas responsáveis, com intuito de reutilizar materiais pós-consumo e criar novos produtos a partir de algo que já existe, o Projeto de Valorização e Reciclagem de Têxteis e Máscaras, surge com o propósito de promover o consumo consciente na moda e minimizar os impactes ambientais causados pelo descarte pós-consumo de vestuário e têxtil, vindo, simultaneamente, alavancar os conceitos de UPCYCLING & CIRCULARIDADE.

CONCEITOS NOVOS - PRÁTICAS ANCESTRAIS

É um processo de criação de novos itens a partir de materiais já existentes, pós-consumo e em fim de vida. São materiais de baixo custo, baixo consumo de energia, que voltam a ser integrados no processo produtivo, dando origem a novos produtos e que de outra forma seriam descartados ou encaminhados para aterro e/ou incineração.

Este processo, como já vimos, passa pela reciclagem e valorização dos têxteis e/ou das peças de vestuário em fim de vida, transformando-os em novas fibras e em novos produtos, mas também pela sua reutilização, caso ainda se encontrem em boas condições de utilização.

É uma das formas de colocar em prática a CIRCULARIDADE, consistindo, basicamente, em dar um novo propósito a materiais que seriam descartados, com criatividade e qualidade igual ou até melhor que a do produto original.

O conceito tem-se generalizado e procura, cada vez mais, otimizar o ciclo de vida dos produtos, promovendo a adoção de hábitos mais sustentáveis de produção e de consumo.

A prática do UPCYCLING reduz a quantidade de resíduos produzidos, diminuindo a necessidade de exploração de matéria-prima, bem como uma poupança significativa de água e energia.

Subscreva a Folha Informativa

Os SMAS de Sintra disponibilizam aos seus Consumidores e Munícipes diversas publicações digitais, tais como newsletters, infomails, convites, cartas e folhetos. Ao subscrever estarei a dar o meu consentimento ao SMAS de Sintra para receber as publicações.